top of page
Buscar
  • Foto do escritorOsvaldo Shimoda

Pacientes atormentados pelo insucesso e instabilidade financeira e profissional


“Minha vida financeira e profissional é uma grande batalha”;

“Não consigo arrumar um emprego”;

“Minha vida financeira e profissional é uma gangorra de altos e baixos. Está bem e, de repente, volta à estaca zero”;

“Aparecem grandes, oportunidades, bons negócios, mas, na hora H, não dá certo, dá tudo errado”;

“Nunca me sobra dinheiro, sempre fico no vermelho, endividado”.


A TRE proporciona a causa e a resolução dos problemas financeiros e profissionais

Estas e outras queixas, são as mais frequentes, que ouço de pacientes que vêm ao meu consultório para passar pela TRE (Terapia Regressiva Evolutiva) – A Terapia do Mentor Espiritual e recebem de seus mentores espirituais suas sábias orientações da causa e resolução de seus problemas.


Há 3 grupos de pacientes em relação à vida financeira e profissional:


1º) Vencedores: São bem-sucedidos, têm êxito financeiro e profissional; seus problemas estão em outras áreas de suas vidas, como: afetiva, saúde, relacionamento conjugal, familiar, social e no trabalho;


2º) Empatadores: Da mesma forma que ganham, perdem tudo. Suas vidas financeiras e profissionais são um tobogã de altos e baixos; por isso, nunca se estabilizam;


3º) Perdedores: Tentam de tudo, empenham-se ao máximo, mas, não logram êxito. Passam por inúmeros percalços, suas vidas e profissionais são feitas de adiamentos. Têm tudo para dar certo (ótimo currículo, capacitação profissional, vasta experiência, pós-graduação, MBA, mestrado, doutorado etc.) mas estão sempre falhando em seus objetivos financeiros e profissionais. É o caso de um paciente de 30 anos, solteiro, que vou relatar a seguir.


Caso Clínico: Por que não consigo arrumar emprego?

Homem de 30 anos, solteiro.


Ele veio ao meu consultório, querendo entender por que sua vida financeira e profissional não dava certo?


Depois que foi demitido, não conseguia mais arrumar emprego.

Foi demitido de uma empresa e, desde então, não conseguia mais se recolocar no mercado de trabalho (há 3 anos estava desempregado).


Tinha também impotência sexual.

Além de estar desempregado, sofria também de impotência sexual. Procurou um médico urologista, fez todos os exames clínicos e os resultados deram todos normais.


Os remédios não resolviam à sua impotência sexual.

O médico lhe prescreveu remédios para sua disfunção erétil (Viagra e Cialis), mas, mesmo tomando, continuava impotente.


A tia materna que o trouxe ao meu consultório e pagou à sua terapia.

Ao vê-lo deprimido, ela lhe indagou: “Sobrinho, não quero me meter em sua vida, mas, sempre que vou à sua casa (ele morava com os pais), percebo que está sempre enfurnado em seu quarto. O que está acontecendo com você?”


O paciente lhe respondeu: “Tia, vou me abrir com à senhora. Há 3 anos que estou desempregado, já encaminhei currículos para inúmeras empresas e nem me chamam para fazer uma entrevista.


Autoestima e autoconfiança abaladas pela impotência sexual.

Terminei com à minha namorada, pois tenho problema de impotência, e me sinto envergonhado, sempre que falho. Tia, a minha autoestima e autoconfiança estão na sola de meu sapato, pois, para um homem não ter dinheiro e nem sexo, é preferível morrer.


Pensamentos suicidas por estar desempregado e ter impotência sexual.

Nas horas de desespero, cheguei a pensar em fazer bobagem, em me suicidar, porque com 30 anos ainda sou sustentado pelos meus pais e por ter impotência sexual. Eu me sinto um fracassado, um perdedor.


Após ter passado por 4 sessões de regressão, na 5ª sessão, ele me relatou: “Estou me vendo numa vida passada, deve ser no séc. 19, pois, eu me vejo andando na rua, vestindo um fraque, uso uma cartola, e, seguro uma bengala, como acessório de moda da época.


A filha de 17 anos estava prestes a se casar.

Tenho uma esposa e uma filha de 17 anos, ela está prestes a casar. Estamos felizes por ela ter encontrado um bom rapaz, um bom partido.


Pegou à filha fazendo sexo com o noivo.

Um dia, à noite, fui chamá-la para jantar e, ao abrir à porta de seu quarto, peguei ela e o noivo fazendo sexo.


Esganou o noivo por estar fazendo sexo com a filha antes de casar-se.

Ao ver aquela cena, tive um aceso de fúria, e pulei no pescoço do noivo e o matei, esganando-o. Naquela época, era inadmissível fazer sexo antes do casamento. (pausa).


Viu no consultório, o seu obsessor espiritual, noivo de sua filha daquela vida passada.

Dr. Shimoda, estou vendo aqui no consultório um vulto escuro em minha frente (paciente estava deitado em meu divã, de olhos fechados, e viu com o seu 3º olho um ser espiritual das trevas).


Terapeuta: “Pergunte a esse ser espiritual das trevas quem é ele?”


Paciente: “Diz que é o noivo de minha filha da vida passada, que tirei à sua vida. Fala gargalhando que é ele que está causando à minha impotência sexual”.


Oração do perdão: A única terapêutica de cura definitiva da obsessão espiritual

No final da sessão, pedi-lhe que fizesse em sua casa a oração do perdão (o leitor pode encontrá-la em meu site: www.osvaldoshimoda.com) para esse obsessor espiritual e lhe emanasse a luz dourada de Cristo, diariamente.


O seu obsessor espiritual aceitou finalmente ir para a luz.


Na 6ª e última sessão, ele me relatou: “Estou vendo aquele vulto escuro de novo, o meu obsessor espiritual, acompanhado aqui no consultório de 2 seres espirituais de luz. Eles estão conversando com ele... O meu obsessor espiritual fala para eles que aceita ir para a luz... Agora, vejo uma luz enorme, redonda e branca, os três estão subindo em direção a ela. Eles entraram nessa luz e sumiram. (pausa).


Havia outros dois seres espirituais obsessores, causando o seu bloqueio financeiro e profissional.


Paciente: “Vejo, agora, dois vultos escuros aqui no consultório”.


Terapeuta: “Pergunte quem são esses dois seres trevosos?”


Paciente: “Dizem que foram os meus escravos na vida passada, no período colonial, onde eu era o dono da senzala. Dizem também, que fui eu que mandei o meu capataz açoitá-los até à morte porque tentaram fugir da senzala. Ele afirmam gargalhando que o meu dinheiro está com eles, que não vão deixar eu arrumar um emprego, pois eles querem me ver na miséria”.


Paciente fez também a oração do perdão para esses dois seres obsessores

No final dessa consulta, recomendei que ele fizesse também a oração do perdão e emanasse a esses dois seres obsessores a luz dourada de Cristo.


Conclusão:


Paciente me encaminhou um e-mail relatando como ficou à sua vida, após a terapia.

No final da terapia, pedi-lhe que me desse um feedback de como ficou à sua vida, após a terapia? Depois de um ano, ele me encaminhou um e-mail: “Olá Dr. Osvaldo, tudo bem?

Desculpe a longa demora em lhe enviar um e-mail falando de meu progresso. Depois do término da terapia, fiz a oração do perdão e emanei a luz dourada de Cristo a aqueles dois obsessores espirituais, conforme o senhor me orientou.


Resolução de seus problemas

Eu me sinto mais tranquilo, com a autoestima e autoconfiança maiores porque o meu problema de impotência sexual sumiu, consegui também me recolocar no mercado de trabalho finalmente, o meu trabalho e a área financeira estão indo muito bem.


Agradecimento

Por isso, quero lhe agradecer por me ajudar e pela oportunidade. Que Deus lhe abençoe e lhe dê tudo que precise para continuar este maravilhoso trabalho.

Um grande abraço, muito obrigado!



Vida financeira e profissional bloqueada por Osvaldo Shimoda

143 visualizações0 comentário
  • Foto do escritorOsvaldo Shimoda

Em minhas pesquisas com os pacientes na TRE (Terapia Regressiva Evolutiva) – A Terapia do Mentor Espiritual, constatei diversas formas de implantes (armas espirituais - artefatos fluídicos - não detectáveis por nenhum aparelho médico terreno) instalados em seus organismos pelos seus obsessores espirituais, que geram doenças graves, com febres, inflamações, dores e outros sintomas orgânicos, confundindo o raciocínio clínico do médico e, com isso, dificultam e retardam um tratamento adequado e efetivo.


Vou descrever os diferentes tipos de implantes espirituais instalados nos organismos de meus pacientes e às suas consequências:


1º) Implantes colocados, atrás do pescoço (nuca): Desencadeiam medos, principalmente medo de viver, medo da vida;


2º) Implantes na testa: Interferem em tomadas de decisões, ou seja, o paciente não consegue tomar decisões, fica procrastinando, desde pequenas coisas, como por exemplo, escolher um prato de comida no cardápio de um restaurante, até assinar um contrato de compra de uma casa;


3ª) Implantes no plexo solar (2 ou 3 dedos acima do umbigo): Interferem na vida sexual, gerando disfunções sexuais nas mulheres, como: falta de libido, anorgasmia (não consegue ter orgasmo) e, nos homens, impotência sexual, falta de desejo sexual, ejaculação precoce e retardada;


4º) Implantes no cérebro: Geram dificuldades de concentração, atenção, memorização, esquecer constantemente objetos, como: chaves, celular, desligar o fogão, o ferro elétrico;


5ª) Implantes no ouvido (o paciente escuta um zumbido 24 horas ininterrupto): Atendi um paciente de 35 anos, solteiro, fez todos os exames médicos e não acusaram nenhuma anomalia nos ouvidos. O seu obsessor espiritual instalou em seu ouvido esquerdo, um implante, para deixá-lo louco, perturbado e nervoso. À noite, não conseguia dormir, pois tinha insônia, por conta do zumbido;


6ª) Implantes no estômago: Atendi uma paciente de 32 anos, solteira, ela sofria de obesidade mórbida. Numa das sessões de regressão, os médicos estelares retiraram de seu estômago um implante colocado pelo seu obsessor espiritual, para gerar nela uma fome insaciável. Depois da retirada do implante, ela fez uma dieta ortomolecular e se tornou uma corredora de meia maratona. Detalhe: Não conseguia fazer dieta, desistia sempre, antes da terapia:


7ª) Implante parasita: São larvas, organismos vivos, que crescem e participam na divisão celular. É um implante de tecnologia alienígena, criado pelos seres de Vega, Zeta Reticuli e de Andrômeda. Eu me recordo, da sensitiva Ana Cláudia (faz parte da equipe de minha clínica) que retirou das costas de um paciente (ele sofria de dores intensas nas costas) uma larva esbranquiçada (3cm) com um ferrão na ponta da cauda. O mentor espiritual do paciente (incorporou na sensitiva) nos revelou que essa larva era um implante parasita, radioativo, e que se alguém o tocasse com a mão, poderia ser contaminado;


8ª) Implante de monitoramento: Tem a função de rastrear, monitorar, como um localizador o obsediado, onde quer que ele esteja, em qualquer parte do planeta;


9ª) Implante de controle direto: É um dos implantes mais antigos da humanidade, da época dos Atlantes, cuja tecnologia é alienígena, criado pelos seres de Orion(constelação) e.de Sirius (estrela mais próxima da Terra).


Objetivo: controlar e monitorar os impulsos cerebrais, para transformar o paciente em uma marionete, um fantoche, sem vontade própria. É instalado na coluna e no cerebelo para controlar e monitorar os impulsos nervosos.


Kardec, o codificador do espiritismo, chamava essa forma crônica de obsessão de subjugação, pois o obsediado se torna refém, prisioneiro de seu obsessor espiritual que o subjuga.

Atendi uma psicóloga, que sentia muito cansaço, desvitalização, desânimo e apatia, sem vontade própria. Os resultados dos exames médicos que ela fez, deram todos normais. Numa das sessões de regressão, o seu mentor espiritual lhe disse que ela iria passar por uma cirurgia espiritual pelos médicos estelares para retirada de um implante. Tiraram de sua coluna um artefato cilíndrico, preto, com vários filamentos ligados ao seu corpo astral. Os cirurgiões estelares cortaram esses filamentos, retirando o implante.


Conclusão:


A paciente voltou ao seu estado normal, pois sempre foi muito ativa, cheio de vida, alegre e bem-disposta. Ela me relatou que sempre foi uma pessoa cheia de vigor, mas, de repente, transformou-se em um fantoche, sem vontade própria.



Retiradas de implantes espirituais pelos médicos estelares  por Osvaldo Shimoda




136 visualizações0 comentário
  • Foto do escritorOsvaldo Shimoda

O ser humano tende a resistir a tudo o que é novo, pois, tem medo do desconhecido. Na língua portuguesa, há uma palavra que se refere a esse medo do novo. É o misoneísmo ou neofobia, que é “a aversão, repulsa a tudo o que é novo, novidade”.


A história da ciência está recheada de casos de misoneísmo, que é o do Dr. John Edward Mack, professor e diretor do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Harvard (EUA).


Apesar de sua sólida e conceituada carreira acadêmica em Harvard (ele escreveu 11 livros e mais de 150 artigos científicos) foi expulso da Universidade por ter na déc. 90 iniciado suas pesquisas com pacientes abduzidos por alienígenas. Entrou na justiça e ganhou a causa – o juiz ordenou que o reitor o readmitisse na Universidade.


No início de suas pesquisas com os pacientes que diziam terem sido abduzidos pelos alienígenas - nas sessões de regressão de memória - ele achava que esses pacientes sofriam de um transtorno psiquiátrico, uma nova psicopatologia que a psiquiatria não conhecia ou que eles tinham uma imaginação fértil.


Mas, após esses pacientes terem se submetido a váriostestes psicológicos, não se constatou nenhum desequilíbrio ou transtorno de personalidade. Ele constatou também, através desses testes psicológicos, que eles não eram sugestionáveis. Eram, sim, bastantes suscetíveis à hipnose, mas, não sugestionáveis, pois tinham opinião própria, não se deixavam ser levados, influenciados facilmente.


Por fim, ele concluiu também que não era uma contaminação cultural desses pacientes - que diziam terem sido abduzidos pelos aliens- porque ele pesquisou nativos da Ilha de Nova Guiné, que diziam que foram abduzidos, mas, não tinham TV, rádio e nem Internet.


Não obstante, até hoje a comunidade científica se recusa a pesquisar pessoas que dizem que foram abduzidas pelos aliens, tratando desses casos com preconceito e até mesmo com deboche.


No meu entender, a comunidade científica tornou-se tão dogmática quanto à Igreja Católica no período da inquisição na Idade Média, quando o assunto é abdução por alienígenas, visto ainda como um tema que não merece ser estudado de forma séria e aprofundada, pois, ainda é um tabu no meio deles.


No entanto, afirmei nos artigos anteriores (“O Planeta Terra foi feito para os analfabetos emocionais – Parte 1 e 2”) que é crescenteo número de pacientes que nas sessões de regressão de memória, descobrem que são alienígenas, e que sua verdadeira família é a cósmica, portanto, também alienígena.


Mas, há exceções no meio científico de pesquisadores que vêm estudando à sério sobre os aliens. O Dr. Ellis Silver, pesquisador norte-americano, PhD, ecologista, professor da Universidade de Cornell (EUA), é autor do livro: “Os humanos não são da Terra: Uma avaliação científica das evidências”.


Ele afirma que os humanos não são da Terra, pois os nossos ancestrais foram trazidos de outro planeta e ficaram presos aqui. No livro “Os Exilados da Capela”, escrito em 1949 por Edgard Armond (Federação Espírita do Estado de São Paulo) confirma a tese do Dr. Ellis Silver de que os nossos ancestrais foram trazidos de outro planeta.


Capela é a estrela mais brilhante da Constelação do Cocheiro, perto da Constelação de Órion. Armond diz em seu livro, que uma tribo rudimentar na África fala que os seus ancestrais não nasceram na Terra, mas, que vieram rebaixados, exilados de outro planeta mais evoluído.


Essa tribo africana venera o céu estrelado, aponta com o dedo o céu estrelado, dizendo que a sua verdadeira morada é em Capela. Segundo o autor, em Capela, os espíritos mais evoluídos baniram um grupo de moradores dessa estrela de índole má, corruptos e sem ética para o planeta

Terra. Portanto, seríamos, então, descendentes de Capela.


O dr. Ellis Silver, afirma que não somos da Terra pelas seguintes evidências descritas em seu livro:


1ª) Sentimento de desamparo: Muitas pessoas sentem saudade (sem saber do quê?) ao olharem à noite, num céu estrelado (muitas até choram).


2ª) Complicações no parto: O principal indício de que os seres humanos não são da Terra é o parto. No reino animal, os nascimentos costumam ser mais fáceis e mais rápidos, o que não ocorre nos humanos, onde a mulher sofre muito, e pode até mesmo ter complicações durante o parto, podendo levá-la ao óbito e mesmo à criança.


3ª) Desenvolvimento lento: Após o nascimento, os seres humanos levam anos para se tornarem independentes, ao contrário dos animais.


4ª) Somos muito sensíveis ao sol, principalmente quando olhamos direto para ele: Isso não ocorre com os pássaros, que têm uma pálpebra extra (membrana nictante), que é uma 3ª pálpebra, que os protegem da chuva e evita que eles fiquem cegos ao olharem direto ao sol. O organismo dos pássaros produzem também uma gordura que deixam suas penas impermeabilizantes, fazendo com que a água da chuva escorra pelas suas penas, não as encharcando.


Vou relatar um acaso muito interessante de uma paciente de 40 anos, solteira. Ela sofria de transtorno de não pertencimento, não encontrava sua “tribo”, pois não se identificava com nenhum grupo social, sentindo-se solitária e isolada. Desde criança, olhava à noite para o céu estrelado e chorava muito de saudade, sem saber do quê?


Numa das sessões de regressão, o seu mentor espiritual apareceu e se identificou como sendo o seu verdadeiro paide sua família cósmica, de onde ela veio antes de encarnar na Terra.


Ele lhe revelou que o planeta à qual pertencia (ela também) se chamava Acquaptetum. Disse-lhe que esse planeta era azul, feito somente de água, encontrada em forma de vapor na atmosfera.


A paciente me disse: “Nossa! Estou vendo nitidamente o meu pai. Ele tem olhos bem grandes, a ponto de pegar à metade de seu rosto, são negros, e brilham muito. Seu nariz são dois furos verticais, ou seja, duas fendas, e ele não tem boca.


Ele está brincando comigo, pede para eu não esquecer de falar ao senhor(terapeuta) que ele só têm dois dedos e não cinco como os dos humanos (ela fala rindo).


Agora, ele me mostra os seus pés, que, na verdade, são patas, com apenas dois dedões grandes e bem grossos, em forma de garras, que lembram os dos dinossauros. Seus braços e pernas são bem alongadas, ele é magro, bem alto, deve ter uns 3 metros de altura. A cabeça é ovalada, o seu queixo é pontudo e a sua pele é cinza azulada.


Ele usa uma roupa bem colada ao corpo, como se fosse uma segunda pele. Ele não tem cabelo e nem pelos, e suas orelhas são bem pequenas. O meu pai cósmico se aproxima de mim e com o seu dedo indicador faz uma incisão em minha testa.


Nossa! Senti um choque... Ele tirou uma larva amarela. Fala que retirou um implante (a larva é um parasita, uma arma espiritual, fluídica, portanto, não visível a olho nu e nem detectável por nenhum aparelho médico terreno, como a ressonância magnética) instalado por um ser espiritual das trevas, também alienígena, quando baixei a minha vibração energética.


Conclusão:


Diz que esse obsessor espiritual, que é um alien, implantou essa larva em mim para atrapalhar o meu raciocínio, confundindo os meus pensamentos e gerando uma confusão mental. Mas pede para não me preocupar, pois ele a retirou de minha testa. Agradece ao senhor e a essa terapia, por essa oportunidade de conversar comigo para que eu soubesse que não estou sozinha, pois ele está sempre comigo”.

No final da terapia, ela me revelou que não se sentia mais solitária e isolada, pois se conscientizou que não estava sozinha nesse planeta, pois seu pai cósmico estava sempre perto dela.



O Planeta Terra foi feito para os analfabetos emocionais - Parte 3



107 visualizações0 comentário
bottom of page