top of page
Buscar
  • Osvaldo Shimoda

Mentor espiritual, o seu verdadeiro terapeuta

Num artigo anterior "Mentor espiritual, o seu verdadeiro amigo", fiz uma homenagem a esse ser benfeitor espiritual, nosso verdadeiro escudeiro espiritual, mestre e amigo fiel, responsável diretamente pela nossa evolução espiritual, e que nunca nos abandona - embora muitas pessoas ainda desconheçam a sua existência -, principalmente nos piores momentos de nossas vidas.

Sendo assim, quero ressaltar, que o mentor espiritual, além de ser um amigo fiel é, sobretudo, um grande mestre, nosso verdadeiro terapeuta, pois nos conhece profundamente (vem nos acompanhando em várias encarnações). Desta forma, na TRE (Terapia Regressiva Evolutiva) - A Terapia do Mentor Espiritual - Abordagem psicológica e espiritual breve, idealizada por mim, em 2006, é sempre o mentor espiritual do paciente que descortina o "véu do esquecimento" de seu passado, que o impede de acessar suas lembranças reencarnatórias, para que ele possa se libertar de seus bloqueios, e, com isso, viver a vida de forma mais livre e autônoma. Nessa terapia, como terapeuta, sou um facilitador; na verdade, sou um co-terapeuta, pois busco auxiliar o mentor espiritual do paciente, criando todas as condições necessárias para abrir o canal de comunicação, para que ele possa conversar diretamente com o paciente e orientá-lo acerca de seus problemas.

Não obstante, recebo diariamente, inúmeros e-mails dos leitores de meus artigos, descrevendo detalhadamente os seus problemas e, no final, eles me perguntam qual a causa de seus problemas e a sua resolução?


Em "A arte da felicidade - Um manual para a vida", escrito pelo psiquiatra americano Howard C. Cutler, em parceria com sua Santidade o Dalai Lama, o autor ilustra claramente nesse livro a particularidade e a singularidade do individuo, ou seja, a complexidade dos problemas humanos.

Num desses encontros com o Dalai Lama, Dr. Cutler, descreveu o caso de uma paciente que persistia em manter comportamentos autodestrutivos (o autor não especificou quais eram esses comportamentos). O psiquiatra norte-americano queria saber do mestre tibetano, se ele tinha uma explicação para esses comportamentos, e como poderia lidar com a paciente. Pensativo, depois de uma longa pausa, o mestre tibetano simplesmente respondeu que não sabia.

Ao perceber a reação de espanto do psiquiatra, o Dalai Lama esclareceu que do ponto de vista do Budismo, são muitos os fatores que contribuem para um determinado tipo de comportamento humano, e que a visão ocidental procura explicar tudo de uma forma simplista dentro de uma única vida, negando a existência de vidas passadas (o paradigma médico e psicológico vigente da ciência ocidental materialista, busca explicar o comportamento humano baseando-se apenas no cérebro e, nesta encarnação, preferindo ignorar a tese reencarnacionista, isto é, a pluralidade das existências). Parafraseando a resposta dada por esse líder espiritual tibetano, respondo também aos leitores de meus artigos que me mandam e-mails pedindo orientação, que, não sei, e que infelizmente não tenho (queria tê-las) as respostas aos seus problemas, a solução de suas angústias, inquietações e mazelas, mas, ressalto que o seu mentor espiritual as tem, pois ele sim é o seu verdadeiro terapeuta. Explico a esses leitores porque a TRE é conhecida pela sua brevidade, eficácia e segurança, pois, o mentor espiritual do paciente, por conhecê-lo profundamente, vai direto ao ponto, sem rodeios, mostrando-lhe com objetividade e sabedoria a causa de seu(s) problema(s) e sua resolução. E, mesmo após o término dessa terapia, recebo e-mails de pacientes me relatando que o seu mentor espiritual continuou orientando-os em suas vidas. Caso Clínico: Por que não consigo sair desse triângulo amoroso?

Homem de 30 anos, casado. O paciente veio ao meu consultório, querendo entender o porquê de estar envolvido num triângulo amoroso, não conseguia se definir entre a sua esposa e a amante. Com a amante se dava muito bem, pois, havia uma afinidade entre os dois. Já com a esposa, havia pensado em se separar dela, mas algo o prendia a ela. Com isso, ficava num impasse, pois não conseguia sair desse triângulo amoroso.

Além desse impasse afetivo, tinha muito medo de tomar decisões em outras áreas de sua vida. Colocava sempre obstáculos do tipo "e se...", mesmo tendo tudo para dar certo, pois era muito pessimista e negativista. Queria saber também por que não conseguia se dar bem com o irmão? As brigas eram constantes, a ponto de ter rompido definitivamente o relacionamento com ele. Por fim, queria saber qual era a sua missão de vida?

Na primeira sessão de regressão, o paciente me relatou: "Vejo um ser espiritual... Ele se parece com uma caveira, usa um capuz marrom". (pausa). Terapeuta: - Pede para ele se identificar


Paciente: "Ele fala que eu sei". Terapeuta: - Pergunte a esse ser espiritual qual o motivo de sua presença aqui no consultório?


Paciente: "Ele não quer responder. (pausa). Agora, estou vendo outro ser espiritual... É uma mulher, usa um capuz branco. Ela tirou o capuz, é muito bonita. (pausa).

Diz que é a minha mentora espiritual, que estivemos juntos em outras vidas, e que sempre fomos muito ligados. Diz também que sempre me acompanhou, e continua me acompanhando na vida presente.

Afirma, que aquele ser cadavérico que apareceu no início dessa sessão é o meu obsessor espiritual, um desafeto de uma vida passada. Diz que ele tem ódio de mim porque acabei com o exército dele. Eu era muito rico, próspero, e um estrategista militar. Afirma também, que eu era uma pessoa poderosa, não só nessa vida passada, mas, em outras vidas, e com isso, criei muitos inimigos, mas diz que sabe do meu coração.

Fala que entre esses inimigos, alguns estão encarnados comigo, nessa vida terrena, mas outros estão nas trevas. Pede para ter calma, e sempre me ligar a Deus e a Jesus, que vai dar tudo certo". No final dessa sessão, pedi que o paciente fizesse a oração do perdão e a limpeza espiritual dos 21 dias com toda a humildade e pureza de espírito (as duas orações, o leitor pode encontrá-las em meu site, na página inicial, clicando o botão “Orações”).

Na sessão seguinte, o paciente me relatou: "Vejo uma casa estilo americano, portão baixo, branco... É uma existência passada, e é em Illinois, EUA. Dentro da casa, vejo minha esposa, ela me abraça, e diz que me ama... Eu a reconheço, é a minha mentora espiritual. Ela me revela, que, nessa vida passada, o nome dela era Évora. A rua é muito tranquila, casas grandes, de madeira.

Vejo dois cachorros: um é grandão e o outro é pequeno. Quando chego em casa, os dois vêm brincar comigo no jardim. Évora é muito bonita, é loira de olhos azuis, traços típicos de uma americana. Agora, estou saindo de casa, andando pela calçada, os vizinhos me cumprimentam. (pausa). As casas vão escasseando e chego a uma praia bem calma, as ondas do mar são pequenas. Há homens, mulheres, crianças, caminhando também nessa praia. Évora vem ao meu encontro, está com uma manta, irradia uma luz branca, e me abraça. Sinto muito amor e proteção vindo dela. Estamos de mãos dadas, caminhando na areia. Do meu lado direito, vejo a minha esposa da vida atual. Évora me diz que foi ela que a colocou em meu caminho, pois é uma pessoa muito boa.

Agora, aparece a minha amante do meu lado esquerdo. Évora, a minha mentora espiritual fala: “Calma, você ainda vai decidir entre as duas. Tudo a seu tempo. Mas pense bem, não troque o certo pelo incerto. Você é um homem de sorte. Tem gente que não tem ninguém que o ame e você tem duas”. (pausa).

Estou me molhando no mar, Évora me observa. Ela parece uma santa, irradia muita luz, e na cintura de seu roupão, usa um cinturão roxo. Voltamos para casa, abrimos a porta, e vejo um garoto na sala. Ele é loirinho, deve ter um ou dois anos. Ela me diz: “É o meu filho do primeiro marido, que faleceu. Fiquei viúva e você apareceu em minha vida nessa existência passada”. Sinto que o meu enteado gostava muito de mim. (pausa). Vejo muitos livros na estante, são livros jurídicos. Eu era um juiz. Há uma mesa, onde faço os meus estudos. O menino brinca com a Évora, ambos estão do meu lado". Terapeuta: - O que você sente pela sua mentora espiritual, sua esposa dessa vida passada?


Paciente: "Sinto muito companheirismo, segurança. Gosto muito dela. Sinto um amor grande, como nunca senti por nenhuma mulher (paciente fala emocionado). Eu me completo com ela, não a vejo só como mulher, mas, como um ser etéreo, espiritual, pois sinto que estamos na mesma sintonia. Parece que a conheço há muito tempo". Terapeuta: - Pergunte se ela é a sua alma gêmea?


Paciente: "O que você acha?", ela me responde brincando. Ela fala ainda: 'É por isso que eu encaminho para você pessoas de almas elevadas. Agora, essa confusão em que você se envolveu com as duas, não foi à toa.

Na verdade, você caiu na armadilha do próprio destino, porque a sintonia das duas é incrivelmente idêntica à sua. A decisão de escolher com quem você vai ficar é fácil e difícil ao mesmo tempo. Ela fala rindo: “Quem mandou ter tanto amor para dar!

Você realmente é um homem amoroso com às mulheres; por isso, às vezes elas confundem o seu modo amoroso de tratá-las, achando que você está interessado nelas, o que não é verdade. É o seu modo de ser carinhoso.

Em relação à sua missão na vida atual, você veio para ajudar os seus semelhantes, mesmo quando eles não pedem. Lembre-se das sábias palavras do grande avatar São Francisco: - É dando que se recebe!" Terapeuta: - Pergunte à sua mentora espiritual de onde vem o seu medo de tomar decisões, de achar que não vai dar certo? Por que você coloca tantos obstáculos em sua vida?


Paciente: "Ela diz que vem de uma existência passada em que fui um milionário. Eu me envolvi com gente que não prestava. Essa vida foi na Inglaterra. Quando me dei conta, meus sócios arruinaram todo o meu patrimônio. Por isso, ainda trago na vida atual o medo de perder tudo, como ocorreu nessa vida passada.

Ela diz ainda: “Você acha que vai acontecer novamente, embora hoje a sua realidade de vida seja outra, mas esse medo está registrado em sua memória perispiritual (corpo espiritual). É isso que o impede de seguir em frente, mas saiba que quando for fazer algo de agora em diante, você tem a mim. Estarei sempre do teu lado, para te orientar. Faça também tudo por amor e não por dever. Pode ter certeza de que, fazendo assim, vai sair tudo bem. Tenha calma, pois você tem muita pressa, tudo vai se resolver em relação às duas mulheres.


Conclusão:


Quanto ao seu irmão da vida atual, houve morte por disputa de terras numa vida passada. Ele veio te matar com um facão, e, você para se defender, disparou um tiro de espingarda. Vocês também eram irmãos nessa vida passada. E do mesmo jeito que hoje, não havia diálogo entre vocês. Mas, da parte de seu irmão, há ainda muita inveja. Ele acha que você é mais inteligente que ele. Deixe como está, não tenha raiva dele, mas o contato com ele não será uma boa coisa. Ele só vai te prejudicar. Lamento informar, mas ele vai precisar ainda encarnar muitas vezes, pois o seu nível de progresso espiritual ainda é muito baixo, porque ele mexe com coisas que não deve (magia negra). Mas, você não mais precisará reencarnar junto com ele, porque na encarnação que você tirou a vida dele, não teve culpa nenhuma - foi legítima defesa. Infelizmente, o nível em que ele sempre se encontrou foi o das trevas. Há uma tendência de seu espírito seguir o caminho das trevas. Ele vai melhorar? Vai, mas como te disse: ele vai ter que encarnar muitas vezes até que um dia reconheça que o Amor Supremo a tudo comanda". Ela, agora, está se despedindo, pede para eu ir em paz, que vai ficar tudo bem. Fala que os esclarecimentos e informações que ela me passou, nessa terapia, foram suficientes. Está subindo, indo embora... Ela já se foi!




183 visualizações0 comentário