top of page
Buscar
  • Osvaldo Shimoda

Cure-se, curando os outros


“É curando que você será curada”, disse à paciente, sua mentora espiritual. Ela vivia doente, um poço de doenças, desde criança. Quando se curava de uma doença, aparecia outra, em seguida.


Ao passar pela TRE (Terapia Regressiva Evolutiva) – A terapia do Mentor Espiritual, método terapêutico de autoconhecimento e cura, criado por mim em 2006, sua mentora espiritual lhe disse: “Sabe por que você vive doente? Você precisa doar energia, através das mãos. Se não fizer isso, fica com excesso de energia acumulada e adoece; por isso, é curando que você será curada”.


Caro (a) leitor (a)!


É como uma mãe que precisa amamentar o seu nenê; não o fazendo, o leite materno pode “empedrar” e gerar uma infecção nos seus seios. A natureza é sábia, o organismo da mãe foi feito para amamentar o seu nenê.


Da mesma forma, há pessoas, os médiuns de cura, que vieram a esse mundo com a missão de curar o próximo; não o fazendo, adoecem.


A psiquiatria e a psicologia, por ignorarem a mediunidade, de forma preconceituosa ainda a rotulam como “anômala”, “patológica”, “um distúrbio psiquiátrico”, por não a ver como um fenômeno natural e inerente ao ser humano.


A bem da verdade, os médiuns de cura, são pessoas dotadas de uma verdadeira aptidão e vocação para curar os outros e ao captar, “sugar como uma esponja” as doenças dos outros, acabam reequilibrando o seu próprio sistema energético. Assim, curando os outros, eles também acabam se curando.


Mas, deixando de curar, adoecem, do mesmo modo que um grande pintor ou um cantor se desajustam se deixarem de praticar sua arte. Um cantor talentoso vem a esse mundo para soltar a sua voz e, com isso, alegrar e emocionar às pessoas; do mesmo modo, um grande pintor vem para encantar o seu público, por meio de suas telas.


Eu me recordo de uma paciente, uma jovem de 25 anos, que disse na anamnese (entrevista inicial): “Dr. Osvaldo, as minha amigas comentam, que sempre que converso com elas, saem muito bem, a ponto de sumirem suas dores, enxaquecas, doenças, tristezas, mas, em contrapartida, eu fico muito mal, eu me sinto desvitalizada, um cansaço imenso, a ponto de precisar me deitar, mas, depois tudo passa”.


Outra paciente de 30 anos, numa das sessões de regressão, o seu mentor espiritual lhe mostrou a causa e a resolução de seu problema auditivo (tinha 70% de acuidade no ouvido direito e apenas 30% no esquerdo).


Antes de me procurar, ela passou por alguns especialistas, fez todos os exames médicos necessários, mas, eles não conseguiram identificar a causa de sua surdez progressiva.


Ela se viu na vida anterior à atual, atuando como médium, num Centro Espírita Kardecista “escutando” os problemas de um consulente com ar enfadonho, pensando que poderia estar naquele momento com as suas amigas, num bar, tomando chopes e se divertindo. Acabou desistindo de seu trabalho voluntário como médium e caiu na farra com muita bebida, drogas, e acabou morrendo de overdose de cocaína.


No final da sessão, ela lhe indagou por que ele lhe mostrou essa cena?


Ele respondeu: - Para que soubesse a causa de seu problema auditivo. A sua missão de alma naquela existência passada, como na atual, é amenizar o sofrimento alheio para se redimir dos erros cometidos em vidas passadas.


Por isso, terá que voltar a trabalhar novamente numa casa espírita como médium e auxiliar os necessitados. Mas não é “fingir” que está escutando, é escutar verdadeiramente, sentindo a dor alheia, para desenvolver a empatia, aprendendo a se colocar no lugar do próximo”.


- E o que ganho fazendo isso? – Ela interpelou o seu meu mentor espiritual.


Ele lhe respondeu: “Sua audição, e, na medida que for escutando de verdade, tendo mais empatia pelo seu próximo, irá também escutando mais. Essa é a sua aprendizagem maior”.

Caso Clínico: Por que sou tão ansiosa?

Mulher de 17 anos, solteira.


A paciente me procurou, por conta de sua ansiedade e preocupação excessiva, diante de seus problemas. Em época de provas (cursava o 3º ano do ensino médio) ficava muito ansiosa, sofrendo por antecipação, e isso prejudicava na sua capacidade de concentração e raciocínio, durante as provas.


Queria entender, também, por que sofria, desde os 7 anos de idade, de psoríase (doença inflamatória crônica que causa placas avermelhadas na pele e causam coceira, dor e descamação), principalmente nas costas e no abdômen.


Por último, queria saber por que o relacionamento com o seu pai era muito conflituoso, de muitas brigas, e qual era o seu verdadeiro caminho profissional e missão de vida?


Na 1ª sessão de regressão, a paciente me relatou: - Estou no céu, têm nuvens por baixo e à minha frente, também. Só vejo nuvens e o céu azul. O meu mentor espiritual, agora, aparece. Ele usa uma bata branca, sua pele é clara, cabelo cacheado, mais claro.


- Agradeça mentalmente ao seu mentor espiritual – Peço-lhe.


Ele revela, que o meu verdadeiro caminho profissional é ser médica. Diz que esse é o meu propósito, missão de vida. Esclarece, que é por isso que vou ser aprovada no vestibular de medicina, o que não ocorre com muitos candidatos, que prestam esse exame de vestibular, várias vezes, e não passam, porque não é o verdadeiro propósito, missão de vida deles.


Na 2ª sessão de regressão, ela me disse: - Estou com o meu mentor espiritual no hospital do Astral Superior. Há uma mulher deitada, numa maca. Ela está machucada, é morena, cabelo até os ombros, está com sangue no rosto e nos ombros.


Meu mentor espiritual diz, que é assim que muitas pessoas encarnadas vão parar no hospital do plano espiritual. Lá, elas aprendem a olhar para si, ver seus próprios defeitos para curar as suas almas.


- Pergunte-lhe por que essa mulher está machucada?


- Diz que ela fez mal para muita gente e por isso acabou sendo morta, levando um tiro. Fala que ele está mostrando essa cena do hospital do plano espiritual porque preciso ajudar às pessoas, mas, no hospital do plano terreno. Preciso ajudá-las, não só física, espiritualmente, também.


Preciso praticar, não só a medicina convencional, alopática, mas, também, a medicina complementar (conhecida como alternativa), tratando os pacientes com remédios alopáticos (químicos) e com os fitoterápicos (naturais).


- Pergunte se ele pode lhe revelar a causa de sua psoríase?


- Diz que, no meu caso, ele não vai revelar a causa, pois, não me será benéfico; porém, explica que essa doença é uma forma de me manter mais calma, menos ansiosa.


Quando olho às manchas avermelhadas em meu corpo, não gosto, por isso, procuro me manter mais calma, ficar menos estressada, pois, ele diz que eu sei que essa doença é de fundo emocional.


Na 3ª sessão de regressão, ela me disse: - Vejo uma cena maravilhosa - faixas coloridas das galáxias, que lembram a Aurora Boreal. Vejo, também, a escuridão do universo, onde aparece o meu mentor espiritual. Ele está bem iluminado, usa uma roupa branca.


- Agradeça mais uma vez a presença de seu mentor espiritual em nossa terapia e pergunte se ele pode revelar o seu nome?


- Diz que é o Anjo Gabriel... Fala que quer me levar para um lugar... É um lugar escuro, é o umbral, as trevas. Sinto muitos arrepios e sinto também que esse lugar é bem denso, pesado. É muito ruim esse lugar!


Ele me revela, que um dia já estive aqui. A minha ansiedade de hoje, diz que é sequela desse lugar, onde estive. Sinto essa ansiedade excessiva porque tenho medo de voltar para esse lugar.


Não quero! (fala chorando).


- Por que você foi parar nas trevas?


- Diz que nem sempre fui uma alma evoluída. Diz ainda, que em várias vidas, eu me submeti ao sofrimento e, com isso, cometi vários suicídios. Fiz também mal a algumas pessoas em vidas passadas, e, por isso, hoje, vim com a missão de ajudar às pessoas, que é uma forma de me ajudar, também.


Explica, que como fiz mal para mim mesma e para os outros, ajudar o próximo é uma forma de curar a minha alma. Disse que, quando me tornar médica, vão vir os pacientes que vou ajudá-los para que eu possa redimir os erros de meu passado, e que é uma forma de eliminar o mal que lhes provoquei.


Fala que essa ansiedade extremada, que hoje sinto, por conta do medo que tenho em voltar às trevas, não vai mais acontecer, não preciso ter esse medo. Afirma, que essa ansiedade vai ser curada, até o final dessa terapia.


Diz que o meu maior aprendizado, lição maior de vida, é ser mais empática com as pessoas, aprender a me colocar no lugar do outro. Fazendo isso, a minha psoríase também vai ser curada.


Na 4ª sessão de regressão, ela me disse: - O Anjo Gabriel diz que hoje vai me revelar o porquê desse relacionamento conflituoso com o meu pai. Fala que a razão de brigar tanto com ele é porque somos opostos, extremos – o meu pai é muito racional e eu emocional. Por isso, viemos na vida atual, como pai e filha, para a gente se reequilibrar, mas, para isso, precisamos conversar mais, ter mais diálogo, porque a minha cabeça é fechada para a razão e a dele para a emoção.


Meu pai tem dificuldade de expressar sentimentos, principalmente, afeto, e, eu, ele me diz que, muitas vezes, ajo de forma muito impulsiva, ao invés de parar para pensar antes de fazer algo.

São exercícios diários, que vamos ter que aprender um com o outro em nossa convivência.


Agora, ele me revela que, quando eu nasci, meu pai sentiu muita emoção, mas não expressou isso para ninguém, por ser muito racional e fechado. Aliás, nunca vi o meu pai chorar.


Na 5ª sessão, ela me relatou: - Hoje está tudo branco, muita luz. Nossa! Tem muita claridade! (paciente estava no plano espiritual de luz).


O Anjo Gabriel está descendo, agora, onde estou. Ele me pergunta se gostei da claridade da luz? Digo que sim. Hoje, vejo as asas enormes dele, e usa uma roupa roxa.


Estou lhe perguntando por que ele está com roupa roxa?


Diz que, hoje, é dia de cura, vai me ajudar a curar a minha ansiedade. A gente está indo num lugar, onde tem um grupo de anjos. Fazem uma roda em minha volta. Diz que esses anjos, são seus amigos. Agora, estou deitada numa maca, e o Anjo Gabriel fala que ele vai emitir uma luz roxa igual à roupa dele por um certo tempo, e que isso vai ser mais um passo em minha evolução.


Vejo a luz roxa que irradia em meu corpo, onde estou deitada na maca. Essa luz vem de um aparelho bem moderno, que nunca vi. É um tubo circular de energia de cor roxa. Esse aparelho faz um barulho, por conta da quantidade de energia que emana, onde a luz roxa fica passando horizontalmente em meu corpo.


Na verdade, ele lembra um equipamento de scanner, onde passa pela minha cabeça e vai até os meus pés. O Anjo Gabriel diz que vai me falar algumas coisas, enquanto a luz roxa percorre o meu corpo. Diz que, depois que terminar o tratamento com a luz roxa, vou me sentir menos ansiosa, a cada dia que se passar, durante essa semana.