Que acordo você fez no Astral ?

Que acordo você fez no Astral ?


Certamente, a TRE (Terapia Regressiva Evolutiva) – A Terapia do Mentor Espiritual é uma grande benção porque colabora (e muito) na evolução espiritual dos pacientes, quando estes se conscientizam dos erros trazidos de outras encarnações e, com isso, ainda em vida, têm a oportunidade ímpar de corrigi-los, o que não seria possível, após o desencarne.

A maioria das pessoas, desconhece os erros que cometeram em outras vidas, por conta do véu do esquecimento do passado, que os tornam amnésicos, não os deixando acessar suas experiências de outras existências.

Mas, é justamente esses erros pretéritos, que, em muitos casos, ocasionam suas angústias, depressão, ansiedade, crises de pânico, fobias, e outros problemas, na vida presente.

A maioria das pessoas, desconhece também, por conta do véu do esquecimento, os acordos firmados no plano espiritual, com as pessoas às quais hoje convivem.

É o caso de uma paciente (vou relatar em seguida), que estava envolvida num triângulo amoroso (ela, o marido e o seu amante).

Através dessa terapia, a TRE, sua mentora espiritual lhe revelou que os três firmaram entre eles, um acordo no Astral, ou seja, comprometeram-se na vida presente reparar os seus erros de outras vidas, para que pudessem evoluir, aprender às suas respectivas lições de vida.


Caso Clínico: Triângulo Amoroso

Mulher de 28 anos, casada.


A paciente me procurou, querendo entender por que se envolveu com outro homem, apesar de ser casada? Não entendia, também, por que apesar do amante estar namorando outra mulher, não conseguia se separar dele?

No entanto, sentia que tinha um compromisso com o seu marido. Por último, ela queria entender por que três meses antes de conhecer o seu amante, teve um sonho com ele (não sabia que iria conhecê-lo), onde ambos conversavam, assumindo um compromisso de que só ficariam juntos, após cada um cumprir suas tarefas. Antes dessa terapia, não havia entendido nada desse sonho. Achou, na ocasião, que fosse um mero sonho, pura fantasia.

Após passar por 4 sessões de regressão, na 5ª sessão, ela me disse: “Estou num jardim do plano espiritual – o gramado é verde, macio, parece ser feito de veludo, flores, um banco, e uma mulher muito bonita. Ela está em pé, de frente ao banco.

Ela é loira, cabelo cacheado, usa uma roupa que lembra a época da Grécia Antiga, deve ter uns 30 anos. Sinto que ela gosta muito de mim. Está estendendo a mão para eu segurá-la, ela me chama para sentarmos no banco”.

- Pede para ela se identificar – Peço à paciente.

“Diz que é a minha mentora espiritual, que a gente se conhece, mas, que agora, não vou lembrar quem é ela, por conta de meu véu do esquecimento do passado. Fala que está aqui para me ajudar, que fiz bem de vir ao consultório do senhor.

Revela que foi ela quem me intuiu a vir a essa terapia... Diz que precisa ir embora, ela me abraça, falou para continuar nesse caminho que estou, e que vou achar às respostas que quero nessa terapia. Ela me dá um beijo, está indo embora...

Fiquei sozinha, sentada no banco... Agora, estou em outro lugar... É como se tivesse no espaço, vendo às estrelas. Vejo também o rosto do Roberto (nome fictício de seu amante).

Ele sorri para mim e, ao mesmo tempo, é como se ele tivesse dando um tchau... Vejo um bebê, eu o peguei no colo, parece que é o meu filho de uma vida passada. Ele, agora, cresceu, é um menino de 9 anos, vem em minha direção e me chama de mamãe. É loiro, cabelo liso, corre num jardim, brincando.

Nesse jardim, vejo uma cerca branca de madeira, estilo americano, com uma varanda na frente da casa. Acho que a época é 1900. Eu uso uma saiona, sou bonita, morena, bem arrumada, cabelo preso, castanho claro. Observo pela varanda o meu filho brincando.

Vejo o Roberto de novo, ele é o meu marido, nessa vida passada. Sai de dentro de nossa casa, senta-se ao meu lado, no banco da varanda, e me abraça. A gente se ama muito (fala chorando)”.

- Vai prosseguindo nessa cena – Peço-lhe.

“Voltei novamente para o espaço sideral, observo às estrelas... Vejo, agora, o rosto de meu marido atual... É uma vida passada mais antiga que essa vida que vivi com o Roberto.

Ele, nessa existência passada, é muito bravo comigo, tem uma fisionomia muito séria. Ele tem cabelo preto, é moreno, usa uma roupa escura, casaco preto e camisa branca. A nossa casa é simples, mas é limpa e bonita. O ambiente é triste, tem uma lareira, a casa é de madeira.

Estou sentada numa cadeira de balanço, perto da lareira. Parece que estou bordando algo e ele está perto de mim. Estou triste porque ele discute comigo. Não consigo me ver, só vejo as minhas mãos bordando”.

- Por que ele discute com você?

“Ele me acusa, fala que estou o traindo e eu começo a chorar. Eu me sinto muito triste, angustiada e sufocada. Não gosto de estar perto dele, ele me faz sentir inferior. Hoje, eu sinto a mesma coisa, pois ele quer me dominar. Ele é muito possessivo.

Nessa existência passada, gosto muito de mexer com ervas medicinais, eu preparo remédios com essas ervas, fazendo chá, e ele não gosta que eu ajude às pessoas com esses remédios.

Tenho que ficar cuidando só dele. Mesmo assim, ainda discute comigo... Vejo, agora, uma luz como se alguém abrisse um portal me levando para um lugar tranquilo (plano espiritual de luz).

Está tudo claro, há algumas pessoas me abraçando, estão me recebendo. Pedem para eu ficar tranquila, que aquela sensação de sufocamento, por causa da pressão de meu marido, acabou, que agora estou entre amigos.

Acho que desencarnei, eu me sinto leve, vejo pessoas, seres de luz sorridentes. Eles vestem roupas claras, calças largas com cordão na cintura, o tecido é fino, esvoaçante.

Agora, eles me levam para um prédio branco, é tudo claro, há também um jardim muito bonito, é tudo branco. Ando por um caminho de pedrinhas, elas brilham. Esse lugar é muito bonito!

Entrei no prédio, tem um teto bem alto, arredondado, onde dá para ver um céu bem estrelado... Agora, desço uma escada, parece que estou numa biblioteca. Há uma moça me esperando”.

- Como ela é?

“Jovem, 15 anos, bonita, cabelos castanhos, olhos azuis, um sorriso muito bonito. Diz que é a minha amiga, que a gente ficava muito nessa biblioteca do astral. Fala que a gente gostava muito de ler. Agora, pede para nos sentarmos. É tudo branco, as mesas são como se fossem de mármore. Há muitas pessoas lendo. Essa moça procura na prateleira e acha um diário e o coloca em cima da mesa.

Ele tem capa vermelha e uma estrela azul de 5 pontas, um pentagrama da Wicca (religião das bruxas). Revela que esse diário é meu. Fala que eu fazia anotações de minhas vidas passadas.

Eu abro o diário e vejo páginas antigas, escritas à mão, uma caligrafia bem escrita, bonita, estilo gótico... Eu o fecho de novo. Sinto saudade desse diário.

A minha amiga fala que o nome dela é Cíntia, que está muito feliz em me ver, tem saudade de mim (paciente chora). Diz que estou no caminho certo de minha atual profissão, que é para continuar, pois sou um instrumento do Alto para ajudar os necessitados.

Pede para ter paciência quando alguém vier me procurar pedindo ajuda, pois são pessoas perturbadas. Mas preciso entender que elas que são enviadas para mim pela espiritualidade porque sabem que sei conversar, orientá-las adequadamente, pois tenho essa habilidade.

Pede também para continuar com as terapias alternativas, pois será no futuro um método de tratamento muito utilizado para auxiliar melhor os enfermos. É para ficar tranquila que nunca estou sozinha, que eles estão sempre me apoiando e me orientando. Diz que já percebi isso em minha vida. Ela me abraça, pede para ficar em paz!”.

Na 6ª e última sessão, ela me relatou: “Estou no mesmo jardim do astral da sessão anterior. Vejo um lago com peixes e por cima há uma ponte. Eu e a minha mentora espiritual estamos em cima dessa ponte, olhando o lago. É um dia muito bonito, não sentimos calor e o ar é bem perfumado. Ela me chama, agora, para sentarmos num banco.

Revela que o seu nome é Madalena. Pega em minha mão, quer me mostrar algo. Saímos do jardim e vamos num lugar com luz... Agora, estou sozinha nesse lugar... É como se tivesse sentada num auditório com um telão à minha frente.

Madalena sentou-se ao meu lado e pede para prestar atenção no que vai aparecer no telão... Vejo uma tempestade... É uma vida passada... Estou agachada, abraçando as pernas, debaixo de uma árvore que balança, sinto muito medo.

A água sobe, transbordado, o rio está muito cheio. Sou menino, devo ter uns 15 anos, tento subir na árvore para a água não me pegar, mas, acabo caindo e sou levado pela correnteza do rio. Sinto muito medo, frio, desespero... Agora, abre uma luz bem clara em cima, é como um túnel. Estou indo em direção a essa luz (paciente morreu nessa correnteza).

Voltei novamente para aquele auditório, onde a Madalena projetou no telão essa vida passada. Diz que foi uma vida que desencarnei muito cedo. Fala que nessa vida eu tinha muito medo da morte e acabei morrendo afogada, mas, que na vida atual, aprendi a controlar melhor esse medo. Hoje, mesmo quando tenho sonhos me vendo morrendo, consigo ter mais calma, só sinto um torpor, diz que estou mais preparada para desencarnar.

Fala que aprendi essa lição muito bem; por isso, hoje, tenho uma visão mais tranquila do desencarne. Ela me fala: - Você entende a necessidade de encarnar para depurar sua alma. Por isso, na vida presente, está vivendo esse triângulo amoroso, ou seja, está casada com o seu marido e, ao mesmo tempo, está tendo um relacionamento com o Roberto.

Revela que no Astral, os três, em comum acordo, combinaram reencarnar juntos.

Diz que o meu marido e o Roberto, funcionam em minha vida como se fossem um espelho de minha alma, que só consigo depurar a minha alma, os meus sentimentos e aprender uma lição, ao me relacionar com os dois.

Porém, a experiência com o meu marido tem sido penosa para mim, pois venho me rebelando contra ele, e isso vem se repetindo de outras vidas”.

- Que lição você tem que aprender com o seu marido?

“Ser firme com ele, mas, não me rebelar, ser agressiva e me afastar dele. Diz que ele me pediu ajuda no Astral porque falhou comigo em outras vidas. Por isso, quis que eu voltasse com ele na vida presente para que pudesse corrigir às suas falhas. Então, a minha presença, ao lado dele, como sua esposa o faria despertar”.

- Despertar o quê?

“A espiritualidade, ou seja, ajudar o próximo de forma mais desprendida. Ele me disse, numa ocasião: - Estou tentando ser um bom marido, mas, às vezes, não consigo dominar o meu jeito possessivo e dominador de achar que você é minha, que me pertence, porque é a minha esposa.

Mas, quando você é firme, conversa comigo numa boa, dá uma chacoalhada em mim, faz eu refletir sobre o meu lado possessivo, dominador. Peço desculpas, estou tentando fazer o meu melhor, peço à sua paciência.

Madalena faz questão de me revelar, que eu sabia no Astral, que seria muito difícil passar por essa experiência de vir novamente como esposa de meu marido, por conta de sua possessividade e dominação.

Por isso, pedi que o Roberto reencarnasse comigo para ficar perto de mim como meu amigo porque ambos tínhamos que ter um aprendizado com os nossos cônjuges – Eu com o meu marido e ele com a sua ex- esposa. Ela deixa bem claro, porém, que foi combinado no Astral, de comum acordo, que o Roberto viria comigo na vida atual como amigo e não para a gente se envolver sexualmente. Mas a espiritualidade acabou concordando com esse triângulo amoroso para que todos os envolvidos aprendessem suas respectivas lições.

Então, ela diz que o Roberto também acordou comigo para que a gente se reencontrasse na vida presente, e que um pudesse apoiar o outro, como amigos. Foi isso o planejado, mas a gente não conseguiu, por conta de nosso livre arbítrio.

Ela me lembra que a Terra é só uma escola, onde estou fazendo um curso. Mas a vida verdadeira é no plano espiritual. Diz que não dá para vir sempre com pessoas que temos afinidade porque estamos aqui para trocarmos experiências diferentes das nossas.

Por isso, precisamos nos relacionar com pessoas diferentes. E as pessoas que temos afinidades, quando houver merecimento, vão ficar próximas de nós.

Ressalta, que o compromisso que eu e o Roberto assumimos no Astral foi cada um cumprir sua tarefa e depois a gente poderia ficar juntos, mas, deixa bem claro, que isso não ocorrerá na vida atual.

Por isso, ela afirma, que se eu me separar de meu marido e ficar com o Roberto, vou cometer o mesmo erro do passado. Se fizer isso, novamente, além de não estar cumprindo o acordo feito no Astral, vou prejudicar o acordo que o Roberto fez também. Fala que, obviamente, o Roberto tem o livre arbítrio, como também eu tenho o meu.

Eu lhe pergunto por que apesar do Roberto estar com a sua atual namorada, mesmo assim, eu não consigo me separar dele?

Madalena diz que o Roberto está sendo pressionado a fazer uma escolha. Depois que ele fizer a sua escolha, será a minha vez de fazê-la. Mas até lá vou estar preparada para fazer a minha escolha”.

- Pergunte à sua mentora espiritual se ela tem mais algo a lhe dizer?

“Diz que, no fundo, eu já sabia do que ela me falou nessa terapia; por isso, eu tive aquele sonho com o Roberto, três meses antes de conhecê-lo, onde a gente conversava assumindo um compromisso de que só ficaríamos juntos, após cada um cumprir suas tarefas.

Fala que só me ajudou a lembrar e a confiar em mim mesma e em minha intuição. Pede sempre para orar e vigiar para que possamos manter esse canal de comunicação.

Fala também para não baixar a minha vibração energética, ou seja, os meus padrões de pensamentos, sentimentos e atitudes porque senão não vou conseguir me comunicar com ela.

Agradece ao senhor por intermediar esse contato, mas, que agora vou saber o que fazer. Ela se despede, dizendo: - Que todos sejam banhados na luz de Cristo e no seu amor! Agradeço a Deus por essa oportunidade de aprendizado e crescimento espiritual de todos os envolvidos”.

Após o término da terapia, a paciente me encaminhou um e-mail dizendo que, antes da terapia, sentia-se angustiada e com insônia. Mas, agora, estava dormindo bem, não

estava mais angustiada, pois, sentia-se mais leve, mais segura, porque entendeu com essa terapia, esse triângulo amoroso.





296 views

T.R.E - Terapia Regressiva Evolutiva - A Terapia do Mentor Espiritual

 

 

 

Rua Luís Góis, 2068 - Saúde - São Paulo/SP - 04043-200      

 Contato:  (11) 2369-9831  (11) 94107-7222       

 e-mail : osvaldo.shimoda@uol.com.br