Os problemas vêm para nos ensinar

Como você lida, reage a um problema? Encara-o de frente, procurando solucioná-lo, nega ou fica protelando, adiando sua resolução?

O ser humano, diante de um problema, tende a maximizar, minimizar ou negá-lo, ao invés de encará-lo de frente e resolvê-lo de forma realista e objetiva.

Muitos ainda, entram no vitimismo, sentindo-se incapazes, desvalidos, cultivam a autopiedade porque não percebem que por trás de um problema está sempre embutido um aprendizado, uma lição de vida.

Não é por acaso, que a palavra Crise dentro do ideograma chinês é Wei Ji que tem dois significados: o primeiro é perigo e o segundo é oportunidade.

Se você está passando por um problema, uma crise, e o vê como algo perigoso, nefasto, que veio para prejudicá-lo, não irá aprender nada, enquanto ser espiritual em evolução.

Por isso, na TRE (Terapia Regressiva Evolutiva) - A Terapia do Mentor Espiritual - abordagem psicológica e espiritual, criada por mim, o mentor espiritual(ser desencarnado de elevada evolução espiritual, responsável diretamente pelo nosso crescimento espiritual) do paciente irá lhe revelar o que é necessário saber em relação aos seus problemas, resolução, bem como seu propósito de vida e as aprendizagens indispensáveis ao seu crescimento espiritual.

O paciente também aprofunda seu conhecimento a respeito da espiritualidade, fortalece sua fé na existência do plano invisível, toma consciência que nunca está sozinho, que o seu mentor(a) espiritual está sempre por perto, amparando-o, principalmente nos momentos mais dolorosos.

Ainda nessa terapia, o mentor espiritual irá desenvolver, expandir sua sensibilidade extrafísica, levando-o também a se comunicar com seus parentes desencarnados (pai, mãe, avós, tios, irmãos, primos) se assim julgar necessário, benéfico ao paciente.

Nesses casos( quando há permissão), os parentes desencarnados vêm a essa terapia para orientá-lo acerca de seus problemas, lições de vida a serem aprendidas, dar uma mensagem de apoio, ou apenas marcar presença, para que o mesmo saiba que não está sozinho, que conta com a ajuda e apoio de seus entes queridos desencarnados.

Eu me recordo de uma paciente, que era solteira, sofria de depressão e solidão por ter perdido sua família toda (pais e dois irmãos) num acidente de carro.

Numa das sessões de regressão, quando a orientei para que visualizasse um portão(recurso técnico que sempre me utilizo nessa terapia, que funciona como um portal que separa o passado do presente, o mundo físico do mundo espiritual) seus parentes falecidos(pais e irmãos) estavam todos esperando-a nesse portal para abraçá-la e matar sua saudade.

Seu mentor espiritual também estava presente, e lhe esclareceu que, apesar da perda de seus entes queridos estar sendo muito dolorosa para ela, por outro lado, era uma oportunidade de crescimento, lição benéfica à sua evolução espiritual.

Ressaltou, que é nas dificuldades que o ser humano se sobressai, empenha-se para se melhorar. Revelou, que foi ele que proporcionou esse encontro, fazendo com que ela procurasse essa terapia para lhe mostrar que nunca estava sozinha, desamparada, e que embora não os visse, eles estavam sempre por perto, amparando e orientando-a.


Caso Clínico:

Vergonha de meu corpo

Mulher de 35 anos, solteira.


Paciente veio ao meu consultório, alegando que tinha muita vergonha de seu corpo, apesar de ter um corpo normal, bonito. Sentia-se feia, não se aceitava e, por conta disso, tinha uma baixa autoestima, sentimento de desvalorização, inferioridade, incapacidade, rejeição, pois tinha receio de não ser aceita pelas pessoas.

Queria entender também por que contraiu câncer? Há dois meses havia terminado seu tratamento de quimioterapia e radioterapia, após ter contraído câncer na mama esquerda.

Por último, queria saber por que sua mãe (era falecida) sempre foi superprotetora, autoritária e controladora com ela. Não conheceu o seu pai (mãe era solteira) e, com isso, desde criança, sentia-se abandonada, solitária, pois sua mãe vivia para o trabalho para sustentá-la.

Após passar por 4 sessões de regressão, na 5ª sessão, ela me relatou: "A impressão que tenho é que a minha face e o corpo todo estão contraídos...É uma vida passada, sou aleijada, e, pela minha deformidade física, pareço um monstro.

Tenho vergonha de minha deformidade (fala chorando). Acho que é congênita, nasci assim, sou muito feia, sinto tristeza e vergonha. Tenho também dificuldade de falar, por conta dessa deformidade (fala com a boca contraída, torta).

Sou mulher, morena, uso um vestido bem humilde, devo ter uns 15 anos. Fico na rua sentada no chão, pedindo esmola. O chão é de pedra, bem rústica, as casas são também de pedras, cobertas de palhas. As pessoas passam, me olham com pena, e algumas com nojo, repugnância. Eu me sinto mal, tenho muita vergonha de meu corpo (fala chorando). Agora, a cena sumiu...Não vejo mais nada".

Na 6ª e última sessão, após o relaxamento corporal progressivo, ela me descreveu: "Vejo uma luz muito linda...É um ser espiritual, uma mulher. Ela parece um anjo, está toda de branco (chora emocionada).

Diz que é a minha mentora espiritual, que gosta muito de mim, e me deseja muita paz. Assegura que não estou sozinha, que está sempre me protegendo...ela emana muito amor. Pede para não me preocupar".

- Pergunte-lhe por que sua mãe foi superprotetora, autoritária e controladora com você? - Peço à paciente.

"Diz que numa encarnação passada, eu era muito rebelde; por isso, minha mãe veio na vida atual para ajudar a não me desvirtuar novamente, tendo uma vida errática como na encarnação passada.

Fala que eu era muito violenta, que machuquei muita gente com maldade, ferindo-as física e moralmente. Por isso, pede para perdoar a minha mãe, pois ela me educou daquela forma para o meu próprio bem".

- Pergunte à sua mentora espiritual por que você veio deformada fisicamente naquela vida passada? – Peço-lhe.

"Diz que na vida anterior à que eu vim defeituosa, era muito má, matava às pessoas, não as aceitava, era intolerante com os que eram feios, defeituosos. Como resgate cármico, vim na encarnação seguinte com àquela deformidade física.

Diz ainda que é por isso que na vida atual tenho vergonha de meu corpo, não me aceito, me sinto incapaz, rejeitada, receio de não ser aceita pelas pessoas, pois era assim que eu sentia naquela existência passada que vim com deformidade física".

- Pergunte-lhe qual é sua lição maior que você veio aprender na encarnação atual?

"Afirma que é a aceitação de minhas imperfeições e dos outros, pois na vida anterior àquela que vim com deformidade física, além de ser intolerante com pessoas feias e defeituosas, maltratava também os homossexuais.

Eu era homem, não aceitava a minha homossexualidade e, com isso, descontava a minha raiva neles. Era magrinho, pele branca, tinha muito medo de que descobrissem que também era homossexual. Não tinha relacionamento homossexual porque achava que era pecado, pois minha família era muito conservadora, rígida, não aceitava a homossexualidade".

- Pergunte à sua mentora espiritual se ela tem mais algo a lhe revelar?

“Diz que daqui para frente minha vida vai fluir, que vou começar a me aceitar, me amar mais. Fala que muitas curas foram realizadas nessa terapia, que é para não me esquecer de agradecer em momento algum por essas bênçãos alcançadas, e que ela vai estar sempre por perto, amparando-me.

Finaliza, dizendo que o câncer que tive na vida atual veio para que eu refletisse, desse mais valor ao que tenho, ter mais gratidão, e que foi também um aprendizado para eu deixar de querer controlar a vida. Ela me deseja muita paz, serenidade e amor. Está se despedindo, indo embora".




194 views

T.R.E - Terapia Regressiva Evolutiva - A Terapia do Mentor Espiritual

 

 

 

Rua Luís Góis, 2068 - Saúde - São Paulo/SP - 04043-200      

 Contato:  (11) 2369-9831  (11) 94107-7222       

 e-mail : osvaldo.shimoda@uol.com.br