top of page
Buscar
  • Foto do escritorOsvaldo Shimoda

Os espíritos influenciam em nosso cotidiano?


Um interlocutor perguntou à Kardec, o codificador do espiritismo, “até que ponto os espíritos influenciam em nosso cotidiano?” Ele lhe respondeu: “Muito mais do que vos imaginais, a ponto de vos dominar”.


Na verdade, Kardec estava se referindo à subjugação, que é uma forma severa de obsessão espiritual, onde o obsediado (encarnado) se submete às vontades de seu obsessor espiritual (desafeto espiritual do passado), tornando-se refém, prisioneiro dele.


Eu me recordo de uma paciente de 32 anos, solteira, que me ligou aos prantos, dizendo que não conseguia chegar ao meu consultório, pois não estava conseguindo sair de casa. Ela não conseguia sair com o seu carro, porque o motor do portão elétrico de sua garagem queimou, quando ela acionou o controle remoto, e não conseguia também abrir o portão manualmente, pois estava emperrado.


Desesperada, ela me disse no celular que ouviu uma voz gargalhando, dizendo-lhe: - Você não vai sair de casa, eu não vou deixar! Era o seu obsessor espiritual, subjugando-a, fazendo-a de refém, prisioneira. Pedi-lhe que se acalmasse, respirasse fundo, para não se preocupar, pois a gente iria remarcar à nossa consulta.


Expliquei, que o intuito de seu obsessor espiritual era desestabilizá-la, deixando-a nervosa e perturbada. Eu a orientei, para não entrar na vibração negativa de seu desafeto espiritual; por isso, oramos juntos, para que ela saísse dessa vibração negativa. Após a prece, ela me disse que não estava mais ouvindo às gargalhadas dele, que estava se sentindo mais calma e equilibrada.


Ela me disse, que estava conseguindo raciocinar melhor, pois, antes da prece, sentia-se confusa, insegura, apavorada, pois vinha um turbilhão de pensamentos ruins. Certamente, o seu obsessor espiritual estava interferindo em sua mente, manipulando o seu campo de energia (aura), fazendo-a entrar num estado confusional.


Caro(a) leitor(a), caso queira aprofundar, entender melhor como os obsessores espirituais atuam em nossas vidas, leia o meu livro “Ataque Espiritual – O Inimigo Oculto” (você encontra esse livro virtual no site Amazon.com.br).


Assim como os espíritos trevosos influenciam de forma negativa em nosso cotidiano, o mesmo ocorre com os espíritos de luz benevolentes, que fazem o contrário, nos auxiliam em nosso cotidiano.


Por isso, nunca estamos sozinhos, sobretudo nos momentos mais dolorosos, difíceis de nossas vidas – há sempre um espírito amigo de luz nos auxiliando, protegendo, amparando.


Mas é preciso estarmos atentos, com a mente aberta, para percebermos a presença desses seres espirituais benevolentes de luz. Embora a gente não os veja, eles podem estar presentes, apresentam-se de forma sutil, quando a gente sente um odor agradável, inexplicável (o odor é de natureza espiritual; por isso, você não encontra de onde vem esse odor), normalmente perfume de flores, como lavanda, rosa, jasmim, eucalipto, flor de laranjeira, menta, etc.


Certa ocasião, num sábado, às 8:00 da manhã, estava numa livraria de um shopping. Quando estava vendo um livro em frente à prateleira, subitamente, senti uma fragrância de rosa, bem forte.


Chamei o vendedor e lhe perguntei se ele sentia o odor de rosa, que eu estava sentindo?


Ele me respondeu que não, disse que não sentia nenhum cheiro. Então, eu lhe indaguei se ele tinha acendido algum incenso? Ele estranhou à minha pergunta, e me respondeu: - Por que iria acender um incenso aqui na livraria?


Anos depois, fiquei sabendo que aquele odor agradável de rosa, que senti naquela livraria era de minha mentora espiritual, que estava me acompanhando. Os seres de luz costumam exalar um odor agradável, bem como um ventinho, uma brisa, um frescor agradável (em grego, a palavra espírito significa vento, ar, sopro divino).


Certa ocasião, numa das sessões de regressão, um paciente, um jovem de 20 anos, me indagou: - Ó meu, essa terapia é muito punk! De onde está vindo esse ventinho gostoso e um cheiro de lavanda, que vêm de meu lado direito? (Ele estava deitado no divã, e à sua direita, tinha só a parede da sala de meu consultório; o ventilador estava desligado e a janela e a porta estavam fechadas; portanto, não tinha nenhuma correnteza de ar).


Eu lhe respondi, brincando: - Ó meu, sou eu que estou assoprando! (eu estava sentado na poltrona, à sua esquerda). Ele me disse: - O senhor está me “zoando”? O ventinho vem da parede, de meu lado direito, e o senhor está à minha esquerda.


Após rirmos juntos, esclareci que, embora ele não visse, havia um ser espiritual de seu lado direito, que estava exalando o odor de lavanda e a brisa gostosa que ele sentia.


Noutra ocasião, estava à minha esposa e eu, num elevador de um shopping, e na nossa frente, tinha um casal, onde o pai segurava à filha, uma menina de 2 anos, muito linda, olhos azuis, loirinha, cabelos cacheados. Quando ela me olhou, começou a rir, dando gargalhadas, a ponto de sacudir o seu corpinho.


A minha esposa e eu e todos os que estavam naquele elevador, começamos a rir também, encantados com a gargalhada daquela criança. Os pais da menina comentaram, que nunca viram à filha rir daquele jeito, pois ela normalmente era muito séria.


Ao chegarmos em casa, minha esposa, que é uma médium, incorporou à minha mentora espiritual, que me disse: - Gostou do sorriso daquela criança? Fui eu que fiz ela rir daquele jeito.


Você estava muito triste (naquele dia, aconteceu um fato muito desagradável que meu deixou muito chateado e triste) e, por isso, para lhe alegrar, fiz aquela menina linda dar àquelas gargalhadas.


Eu lhe respondi: - Então, você conseguiu! Realmente, a minha tristeza foi embora, pois fiquei muito encantando com aquela gargalhada alegre e radiante daquela menina linda. Muito obrigado, minha querida mentora, por ter me ajudado!


Conclusão:


Na TRE (Terapia Regressiva Evolutiva) – A Terapia do Mentor Espiritual – Método terapêutico de autoconhecimento e de desenvolvimento pessoal, sistematizado por mim, em 2006, os pacientes vêm a essa terapia, sobretudo, para trabalhar os seus medos. Ao conversarem com os seus mentores espirituais, eles se conscientizam que nunca estão sozinhos, que os seus mentores espirituais e amigos protetores de luz estão sempre os ajudando, que à força do bem, da luz, está sempre do lado deles, amparando-os.



Os espíritos influenciam em nosso cotidiano? por Osvaldo Shimoda

171 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

留言


bottom of page