O que é mediunidade?


“Dizem que enlouqueço as pessoas e que as curo da loucura. Sim! Eu as torno loucas por Deus e pelas disciplinas espirituais necessárias à realização de Deus. Curo a loucura que faz as pessoas correrem freneticamente atrás de prazeres, e as faço pairar além das alegrias exaltadas e das aflições que deprimem. Trago a seus olhos lágrimas de alegria e enxugo as lágrimas de dissabor. Não desejo que me louvem. Estarei satisfeito se ligarem a mim”. - Swami Sathya Sai Baba. A mediunidade é um fenômeno espiritual que ocorre com muito mais frequência do que muitos possam imaginar, pois estamos rodeados de espíritos.

Antes de passar pela Terapia Regressiva Evolutiva (T.R.E.) – A Terapia do Mentor Espiritual - abordagem psicológica e espiritual breve, criada por mim em 2006 é comum na entrevista de avaliação os pacientes me confirmarem que veem vultos escuros (espíritos das trevas, do astral superior) e/ ou claros (espíritos de luz, do astral superior), no seu dia-a-dia e, mesmo não sendo médiuns de vidência, têm a impressão ou a sensação de terem sentido uma presença espiritual.

Mesmo assim, muitas pessoas ainda não acreditam em sua existência pelo fato de eles habitarem em planos sutis e com leis ainda desconhecidas pela ciência oficial.

Mas, independentemente de se acreditar ou não, potencialmente somos todos médiuns, pois a mediunidade é algo inerente ao espírito (é bom lembrar que somos todos seres espirituais, passando temporariamente por uma experiência carnal), embora em graus variados.

Alguns a possuem em estado bem aflorado, explícito - são pessoas bastante sensíveis. Outras, a possuem apenas em estado latente, precisam, portanto, desenvolvê-la.

Na T.R.E., em estado alterado de consciência (alfa ou teta), após ser orientado pelo seu mentor espiritual – ser desencarnado responsável diretamente pela nossa evolução espiritual – é comum aflorar mais ainda no paciente a sua mediunidade, sua P.E.S. (percepção extra-sensorial) - clarividência, clariaudiência, intuição, premonição, psicografia, psicofonia (incorporação), etc.

Chamamos de médiuns, aqueles que possuem esta faculdade (P.E.S.) de maneira ostensiva. A grande maioria dos médiuns, já vem com os canais mediúnicos abertos, pois receberam uma preparação em seu corpo espiritual (perispírito ou corpo astral) no plano astral, antes de reencarnar para exercerem sua mediunidade.

No entanto, por conta do véu de esquecimento de seu passado, muitos esquecem de seu verdadeiro propósito de vida ao virem como médiuns.

Assumiram o compromisso de exercerem sua mediunidade para saldarem seus débitos cármicos de prejuízos causados, numa vida pretérita a muitas pessoas – encarnadas e desencarnadas.

Neste caso, a mediunidade é uma oportunidade de evolução e reparação de erros cometidos no passado.

A história revela grandes médiuns em todas as épocas e em todos os credos. Joana D’arc, desde pequena, escutava vozes (clariaudiência) no silêncio dos bosques, que atribuía a São Miguel, Santa Margarida e Santa Catarina, os quais a incentivavam para se voltar a Deus e defender a França.

O filósofo grego Sócrates (séc. V a.C.) constantemente era orientado pelo seu guia espiritual: “Desde minha infância, graças ao favor celeste, sou seguido por um ser quase divino, cuja voz me interpela a esta ou àquela ação”.

A Bíblia com o velho e o novo Testamento, é uma fonte riquíssima de fenômenos mediúnicos. O apóstolo João mostra a possibilidade de comunicação entre os dois mundos (encarnados e desencarnados), mas nos alerta para a qualidade dessa comunicação: “Não creias em todos os espíritos, mas provai se os espíritos são de Deus” (I João).

Sendo inerente ao ser humano, a mediunidade pode aparecer em qualquer pessoa, independentemente de idade, sexo, condição social, moral ou religião à qual se abrace. Mas, mal orientada, principalmente em médiuns bem aflorados, pode acarretar problemas sérios em suas vidas.

É frequente receber em meu consultório, médiuns rotulados pela psiquiatria oficial de esquizofrênicos, psicóticos, com transtorno bipolar (alternância de humor extremada), transtorno de humor (depressão, ansiedade, nervosismo, irritação, angústia etc.).

Desta forma, a ciência psicológica, por considerar ainda a mediunidade como um fenômeno anômalo, rotula equivocadamente os médiuns como sendo portadores de distúrbios psiquiátricos.

Por conta disso, a maioria dos profissionais da área de saúde ainda não faz um diagnóstico diferencial entre um distúrbio mediúnico de um distúrbio psiquiátrico propriamente dito.

Os sintomas clínicos mais comuns de uma mediunidade em desarmonia são: 1º) Sensação de peso na cabeça, na nuca e ombros;

2º) Nervosismo acentuado (irritação por motivos banais);

3º) Insônia, desassossego;

4º) Calafrios e arrepios constantes no corpo todo ou partes do corpo;

5º) Cansaço geral, calor (como se encostasse em algo quente);

6º) Falta de ânimo para o trabalho;

7º) Alternância de humor extremada: tristeza profunda ou excessiva alegria, sem razão aparente. Mas, como se diz no jargão médico, cada caso é um caso, sendo fundamental uma análise mais detalhada de cada caso para sabermos distinguir um caso psiquiátrico de um desequilíbrio mediúnico.

Caso Clínico: Insucesso amoroso.

Mulher de 30 anos, solteira Veio ao meu consultório, querendo saber o porquê de não ter sucesso na área afetiva. Os relacionamentos começavam bem, os parceiros se mostravam apaixonados, depois, simplesmente sumiam de sua vida sem dar uma explicação. Outros, alegavam que não queriam um relacionamento mais sério, mas queriam continuar como amigos. Na primeira sessão de regressão, a paciente me relatou: “Estou toda amarrada, aqui no consultório; alguém me amarrou (na verdade, era o seu corpo espiritual que estava amarrado e não o seu corpo físico). É um homem”. - Você consegue vê-lo?

“Ele é um espírito desencarnado das trevas, só ri, risos de deboche”. - Pergunte o que ele sente por você?

“Ele se sente magoado, tem desejo de vingança, raiva, tristeza” (Paciente intui). - Pergunte o que você fez para ele no passado?

“Diz que o abandonei numa vida passada, que o trai, prometi que iria estar sempre ao seu lado. Sinto que ele sente muita raiva de mim. Diz ainda que jamais me deixará em paz, que nunca terei alguém, um homem que me ame.

Comenta, que tudo que passei até agora é pouco em relação ao que ele passou. Fala que há séculos vem me acompanhando (obsediando), que sempre está do meu lado, em todos os momentos.

Diz ainda que sou dele, por isso ele me amarra. Ele comenta: ‘Eu sempre te amei, você sempre foi desejada, amada, jóias, perfumes, sempre foi tão mimada por mim. Mas você me traiu! Eu matei, roubei, menti, tudo por você!” - Pergunte-lhe como você o traiu?

“Ele dá risada e me pergunta: -Você não se lembra? (pausa). Tenho a impressão de que o matei, e, foi por dinheiro. Eu queria ficar com as coisas que eram dele. Ele confirma que o matei num jantar.

Ele me diz: - Eu não acreditei! Como pôde fazer isso comigo? Você era uma mulher tão amada, desejada! Fez isso por dinheiro. Ele tem muita mágoa de mim. Diz ainda, que não me deixa progredir, não só na área amorosa, mas também profissional e espiritualmente. Ele me amarra cada vez mais. Fala que vai continuar me amarrando, pois não quer ver o meu progresso.

Mas confessa, que para me amarrar precisa de muita ajuda, de outros desencarnados trevosos. Fala ainda, que eu sempre fui mais forte. Ele comenta: - Na verdade, quando eu governava não era eu, era você que governava. Como fui tolo de acreditar que era eu!

Você tem noção das coisas que fiz por você? O que fez para mim? Ingrata! Mal-agradecida! Eu fazia todos os seus caprichos, suas vontades.

Você sabe que fui um homem muito poderoso, e olha eu aqui! Quando você estava comigo, tinha muita riqueza. Mas você ainda gosta, seus olhos brilham! Você tinha muitas jóias, colares. E o que você fez? Matou-me! Quantas mulheres tinham inveja de você, queriam estar em seu lugar! Mas, em nenhum momento me valorizou.

O que você me fez sofrer, não é nada do que você sofre hoje. Não adianta, todos os homens que se aproximarem de você, eu os afastarei. Todos são muito fracos! Esse último é tão inseguro!

Eu que falei no ouvido dele: -Vai embora, essa mulher gosta de luxo, rapaz! Você acha que realmente vai propiciar a felicidade dela? Dê o fora, não adianta se enganar!

Ele era um fraco, tanto que sumiu, desapareceu, como todos os outros! Mas eu sou forte! Eu sou o rei! Quem eles pensam que são? Nem meus súditos, podem ser. No final dessa sessão, a paciente teve a impressão (intuiu) que o obsessor espiritual usava uma saia de metal (ou estanho). Veio em sua mente que ela o envenenou, e que essa vida passada foi na Escócia, em 1492. Pedi à paciente que fizesse a Limpeza Espiritual dos 21 dias do Arcanjo Miguel e a Oração do Perdão (as duas orações, encontram-se na página inicial de meu site, no botão “Orações” ) para que ambos, obsessor e obsediada se reconciliassem e, com isso, rompessem o cordão energético que os unia. Na segunda sessão de regressão, a paciente me relatou: “O meu mentor espiritual está me dizendo: - O irmão (obsessor espiritual) que te acompanha, em breve retornará ao estágio de evolução necessário ao seu desenvolvimento.

Graças ao seu perdão sincero, ao seu amor por ele, ele se afastou momentaneamente, mas reluta ainda em deixar o plano terreno. Mas o tempo cura todas as feridas.

A sua volta à Terra foi para ajudá-lo. No plano espiritual, após o desencarne naquela vida passada, você realmente se arrependeu de todo o mal causado a ele.

Existe uma esperança, que ele retorne em breve na vida atual para ficar ao seu lado encarnado. Você precisa ajudá-lo a progredir. Na verdade, você encarnou por causa dele. Várias tentativas foram feitas para resgatá-lo das trevas, enquanto você estava no plano astral; porém não obtivemos resultado.

A mágoa, o ressentimento, eram muito fortes. A sua vinda para o plano físico foi para recebê-lo, no momento de seu reencarne. Um grupo espiritual grande tentará ajudá-lo para que haja tempo hábil a fim que isso aconteça (a paciente me disse que teve a impressão de que ele virá como seu filho na vida atual).

Momentaneamente, houve o afastamento dele porque ocorreu uma breve luz de consciência em nosso irmão. Clamamos e oramos para que tal consciência seja expandida e ele aceite a verdade divina para que o caminho de luz seja seguido, para que o amor prevaleça, e o plano traçado seja cumprido. Não tenha medo, não desista, confie! Todos nós estamos empenhados na luz, no amor divino. Fique com Deus!”. Na terceira sessão de regressão, a paciente me relatou: “Vejo uma equipe espiritual, presente aqui no consultório. Estão todos vestidos de branco. Estão sorrindo, dizendo que o resgate do irmão (obsessor espiritual) das trevas foi realizado.

Todos estão felizes! Eles têm rosas, flores nas mãos. São homens e mulheres. Dizem que uma etapa foi concluída, mas que a missão ainda precisa ser trabalhada, e Deus está sempre nos guiando, nos orientando.

Comentam, que esse resgate foi muito duro. Houve muito sofrimento de todos os envolvidos (pausa). Agora, só um ser de branco fala: -Todos os envolvidos foram sendo esclarecidos um a um. Só faltava esse irmão”.

- Quantos eram os obsessores espirituais? – Paciente pergunta a essa entidade espiritual de luz.

- Quatro. O último era o mais resistente. O ódio que ele alimentava por você era grande, mas a divindade resplandeceu sobre a escuridão. O amor destruiu às barreiras invisíveis. O amor é a força universal que impulsiona todo o cosmo. Cedo ou tarde todos serão tocados pelo amor divino.

A resistência é apenas passageira. Deus está dentro de cada um de nós. Por isso, é nosso dever perdoar, acalentar, incentivar, e, principalmente, amar.

O amor divino cura feridas grandiosas. E foi por esse amor que o nosso irmão foi resgatado. Pelo seu amor, pelo nosso amor e pelo amor de Deus.

Só Deus é o verdadeiro Rei de todo o Universo. Muita paciência irmã! Novos caminhos deverão ser trilhados. A mudança em sua vida será muito grande, mas, a fé, o amor e a proteção estarão sempre ao seu lado.

Lembre-se: Você nunca está só, mesmo nos momentos em que você se sente só. Fique com Deus!”. Na quarta e última sessão, a paciente me relatou: “Vejo uma luz prata, forte, brilhante. Meu mentor espiritual pede para entrar nessa luz. Ele me estende os braços, me dá as mãos. Ele é jovem, moreno, veste bata e uma calça branca. É branco, deve ter 1,70m. Quer que entre nessa luz.

Entrei...Parece um hospital, tem várias camas. É tudo branco, o chão, a parede, as camas... Ele diz que me propus a ajudar esses enfermos. Esse hospital é no Astral. Fala que me trouxe aqui para ir me familiarizando. Revela, que já fui médico numa vida passada. Diz ainda que tenho que trabalhar com cura”. - E o seu emprego atual na área da ciência contábil? Como fica? – Peço à paciente perguntar ao seu mentor espiritual.

“Ele explica, que eu precisava também do conhecimento burocrático para exercer a atividade que me propus, antes de reencarnar na vida atual. Preciso unir a burocracia e a saúde. Esclarece, que se tiver o conhecimento, só de uma coisa, não terei sucesso.

Esclarece também, que precisava conhecer às regras burocráticas. Por isso, as atividades que hoje desempenho. Explica, que são os espíritos superiores que me intuíram para ter vontade de cursar fisioterapia (pausa).

Agora, estou sentindo às minhas mãos muito grandes. Ele diz que isso é energia, que consigo captar com muita facilidade a energia do Universo. Em função disso, devo utilizá-la em prol das pessoas que estão carentes de saúde.

Em relação à minha vida sentimental, pede para que não me preocupe, que em breve conhecerei um homem que já viveu comigo em várias encarnações.

Hoje, ele é médico, e iremos trabalhar juntos, desenvolvendo atividades em prol dos necessitados. Não irá demorar muito para encontrá-lo. Diz que, agora, estou preparada para o encontro, pois antes existia a influência negativa de nosso irmão (obsessor espiritual), e isso poderia prejudicar o nosso enlace.

Agora, a situação foi modificada, e o encontro acontecerá em breve. Fala que essa terapia foi realizada com sucesso. Pede para agradecer ao senhor, que soube conduzir a nossa comunicação (o meu papel enquanto terapeuta é abrir o carnal de comunicação para que o mentor espiritual de cada paciente possa orientá-lo melhor acerca de seus problemas, bem como se está cumprindo o seu verdadeiro propósito de vida).

Pede ainda para ter fé e, quando encontrar esse homem, não olhar com olhos tão críticos, como sempre faço porque talvez eu vá achar que ele não é a pessoa certa.

É para me dar a oportunidade de conhecê-lo melhor. Ele se despede, está indo embora.”



170 visualizações

T.R.E - Terapia Regressiva Evolutiva - A Terapia do Mentor Espiritual

 

 

 

Rua Luís Góis, 2068 - Saúde - São Paulo/SP - 04043-200      

 Contato:  (11) 2369-9831  (11) 94107-7222       

 e-mail : osvaldoshimodaoficial@gmail.com