Retirada de Implantes espirituais

Aproveitando-se de seu estado de invisibilidade, os seres espirituais obsessores (humanos e não humanos, os extraterrestres) exercem sua ação nociva no obsediado, no ser encarnado.

Eles manipulam o seu campo de energia (aura) de diversas formas possíveis e inimagináveis, principalmente nos períodos de sono, usando armas espirituais como chips, implantes (artefatos fluídicos, portanto, não detectáveis por nenhum aparelho médico terreno sofisticado, como a ressonância magnética), parasitas, larvas, formas ovóides.

Esses seres obsessores chegam a criar doenças graves no encarnado com febres, inflamações, dores e outros sintomas orgânicos, confundindo o raciocínio clínico do médico e dificultando, retardando um tratamento adequado.

Implantes inseridos atrás do pescoço (nuca), desencadeiam medos, principalmente medo de viver, medo da vida;

Implantes na testa interferem em tomadas de decisões, onde o encarnado não consegue se decidir;

Implantes no plexo solar – ficam 2 ou 3 dedos acima do umbigo – prejudicam a energia sexual. E assim por diante.

Veja a seguir, o caso de uma paciente, que por conta dos implantes colocados pelos extraterrestes, numa vida passada, sofria hoje de diversos problemas de saúde.


Caso Clínico: Retirada de Implantes espirituais

Mulher de 23 anos, solteira.


A paciente me procurou por conta de seus problemas de saúde, pois sofria de Síndrome do intestino irritável (inflamação crônica do intestino), que prendia e soltava o funcionamento de seu intestino. Sofria também de doenças ginecológicas (inflamação urinária, candidíase, fungos, etc.) e muito medo de engravidar.

Via o sexo como algo sujo, e, se tinha uma relação sexual, sentia-se culpada e com muito medo de engravidar. Por isso, atualmente não namorava, não fazia sexo para não correr o risco de engravidar. Mesmo não fazendo sexo, entrava em paranoia fazendo teste da farmácia para saber se estava grávida.

Ela tinha boa consciência, bom esclarecimento do plano espiritual, pois sabia que não era da Terra. Por isso, tinha dificuldade de lidar com às questões terrenas.

Apesar de jovem, não gostava de sair, ir em baladas, bebidas alcoólicas, aglomerações, pois era uma médium muito sensível, que captava e sugava - como uma esponja - a energia do ambiente. Com isso, não aproveitava a vida.

Desde criança, sempre se sentia um “peixe fora d’água”. A Terra para ela era muito agressiva, violenta e densa, tinha dificuldade de aceitar seu corpo físico – achava estranho as suas mãos e pés, pois tinha consciência que não era da Terra – era de Sirius (estrela mais brilhante vista do céu noturno; é uma estrela azul e branca, aproximadamente 8,6 anos-luz distante da Terra e 20 vezes mais brilhante que o Sol).

Os sirianos são extraterrestres que se assemelham a seres humanos, são chamados de seres azuis, pois seu pigmento de pele é de natureza azul.

Na 5ª sessão de regressão, a paciente me relatou: “Vejo uma nave espacial vindo e agora vejo vultos, luzes azuis (são os extraterrestres de Sirius, os azuis). Eles vêm de meu lado esquerdo à minha direita, aqui no consultório. (pausa).

Agora estou dentro de uma nave, no espaço sideral... Vejo-me deitada numa maca cirúrgica; vejo também uma mão diferente... não sei descrever... não é mão humana, pois só têm 2 dedos.

Vejo luzinhas piscando, são equipamentos da câmara de cura, dentro da nave. Há dois seres extraterrestres – um de cada lado de meu corpo – o do meu lado esquerdo cortou a minha cabeça com uma caneta de laser e está puxando algo longo... Nossa! É uma cobra preta e ainda não saiu tudo.

Ele puxa de dentro de minha cabeça... Agora com o laser está fechando a minha cabeça. O outro ser Siriano está com as palmas das mãos emanando luz em minha cabeça. (pausa).

Agora, está enfaixando a minha cabeça... Pronto! Já terminaram!

Ainda estou na nave... Acho que tenho que ir embora, não quero, mas tenho que ir. Eles estão abrindo a porta da nave e me dão tchau! São 7 seres Sirianos”.

- Como eles são? – Pergunto-lhe.

“São muito altos, cabeças pontudas para cima, olhos grandes, corpos longos, são muito compridos e pele azul. Eles estão se despedindo de mim e falam que vou voltar em breve”.

Na 6ª e última sessão, a paciente me relatou: “Vejo 2 luzes brancas, só vejo os vultos desses dois seres... Não são Sirianos”.

- Pergunte quem são eles? – Peço-lhe.

“Dizem que são de Andrômeda (é uma galáxia espiral de 2,54 milhões de anos-luz de distância da Terra; é a galáxia mais próxima de nossa Via Láctea).

Falam que aqueles Sirianos da sessão passada pediram para eles virem. Os Andromedanos não são tão altos como os Sirianos, são menores”.

- Pergunte-lhes por que os Sirianos pediram para eles virem?

“É para mexer novamente em minha cabeça, pois só eles têm a tecnologia mais avançada para tirar as formas ovóides que restaram em minha cabeça. Falam que os Sirianos tiraram uma parte delas, mas não conseguiram tirar tudo, pois não dispunham de tecnologia para isso.

Estou deitada numa mesa cirúrgica, não sei se é dentro de uma nave... Têm dois Sirianos que os acompanham... Estão mexendo novamente em minha cabeça, que não é de humano (eles estavam fazendo a cirurgia no corpo sutil, espiritual da paciente, que é também uma Siriana).

Abriram a minha cabeça com laser e tiraram vários “bichinhos” e os jogaram no chão, onde saem andando. Falam que esses “bichinhos” foram colocados pelos meus obsessores espirituais, que também são extraterrestres”.

- Por que eles colocaram esses “bichinhos” em sua cabeça?

“Para eu não ter pensamento próprio, controlar os meus pensamentos. Usam agora um aparelho que suga um líquido preto, viscoso, que lembra o polvo do mar com tentáculos.

O aparelho suga o líquido preto e estão agora enfiando uma agulha enorme em minha cabeça e no pescoço. Falam que estão injetando um antídoto contra esse líquido preto.

Agora estão abrindo com laser o meu maxilar. Tiram os tentáculos das formas ovóides e os queimam com o raio laser - para não ficar nenhum resíduo - e emanam luz novamente com as palmas das mãos, na região afetada.

Agora estão mexendo na região da nuca de meu corpo espiritual de Siriana. Enfiam um cabo e puxam um chip vermelho, onde pisca uma luz vermelha que estava ativado, em funcionamento (o chip é um artefato fluídico que foi colocado na nuca da paciente para monitorá-la, localizá-la, onde quer que ela esteja).

Destruíram o chip, quebrando-o ao meio. Estou agora debaixo de um aparelho, onde emite uma luz violeta, que passa pelo meu corpo todo. Fazem uma varredura, checagem para ver se encontram mais implantes... Encontraram algo no meu útero... Eles vão tirá-lo... Têm várias larvas – vejo suas bocas com dentes afiados, que lembram as das piranhas, e que abrem e se fecham - Elas estavam mordendo a minha parede uterina.

Estão tirando-as e cauterizando as feridas com o laser... Tiram também de meu útero umas “bolinhas pretas”, falam que são os miasmas, e que têm a haver com o meu medo de engravidar e travar a minha energia sexual e a reprodução. Ou seja, é para eu não ter desejo sexual e, com isso, não ter filhos.

Tiram também uma “cobra preta” de minha vagina – sinto dor e aflição -, pois ela é longa, muito comprida... Está saindo”.

- Pergunte-lhes o que é essa “cobra preta”?

“É para atrapalhar a energia da Kundalini (energia sexual) e causar doenças, dificuldades de reprodução – eles não falam engravidar.

Os dois Sirianos estão juntos comigo, dando-me apoio, cada um segura de cada lado a minha mão. Os Andromedanos estão agora limpando o meu canal uterino e as trompas... É tudo muito real, sinto tudo! Por isso, essa aflição! (fala chorando).

Os Sirianos seguram as minhas mãos, dando-me apoio. Revelam que esses implantes foram colocados em mim numa vida passada de forma bruta, falam que sofri muito, e que fiquei com trauma sexual. (fala chorando).

Por isso, estão tirando-os para que eu não sofra mais. Os Andromedanos passam o raio laser dentro de meu útero, cauterizando-o para regenerar os tecidos comprometidos. (pausa). Pronto! Agora os Sirianos soltaram as minhas mãos. Os Andromedanos estão, desta vez, passando uma luz verde dentro de meu abdome.

Falam que é para o intestino, estômago e o fígado funcionarem direito. Dizem que é por causa desses implantes que sofro de Síndrome do intestino irritável. Agora passam essa luz verde em todas as partes de meu corpo. (pausa).

Já encerraram o procedimento cirúrgico da retirada dos implantes... Os Sirianos estão agradecendo os Andromedanos. Estou agradecendo e abraçando a todos- há 7 Andromedanos e 2 Sirianos.

Os Andromedanos falam que o procedimento cirúrgico foi feito com sucesso, num templo de cura deles, e não numa nave. Os Sirianos estão me esclarecendo, que a minha saúde vai melhorar e a questão sexual também. Não vou mais ficar pegando doenças, e que o medo de engravidar e de fazer sexo vão diminuir gradativamente.

Todos estão aplaudindo, dentro do templo. Os Sirianos estão me dizendo que esse templo de cura fica na 14ª dimensão, e que agora preciso voltar à Terra.

Falam que tenho muita coisa ainda para fazer na Terra; por isso, eles tiraram os implantes de meu perispírito (corpo espiritual). Esclarecem que tinham que curar primeiro o meu corpo espiritual, para depois curar o meu corpo físico.

Todos estão me aplaudindo. Eu que os aplaudo, com muita gratidão, por terem me ajudado. Estou agora me despedindo deles, dando tchau”.




0 visualização

T.R.E - Terapia Regressiva Evolutiva - A Terapia do Mentor Espiritual

 

 

 

Rua Luís Góis, 2068 - Saúde - São Paulo/SP - 04043-200      

 Contato:  (11) 2369-9831  (11) 94107-7222       

 e-mail : osvaldo.shimoda@uol.com.br