O Poder da Escolha

Oração da Prosperidade da Wicca


Suprema Deusa de infinita bondade

Sou sadia(o), rica (o)e feliz!

A minha mente, os meus pensamentos e emoções são perfeitos.

A harmonia e a riqueza fazem parte de todas as células e átomos do meu corpo.

Desintegram-se agora todos os meus medos, conflitos e crenças anteriores, fortalecendo o meu merecimento de receber saúde, riqueza e felicidade.

A riqueza está presente em minha vida todos os dias de forma natural e positiva, riqueza física, mental, emocional, espiritual e material.

A riqueza, como tudo o que existe no universo, também é uma energia, e ela tem cor dourada.

Respiro essa energia dourada e sinto-a invadindo todo o meu ser.

Sou próspera(o), bem-sucedida (o) nos negócios, tranquila(o) e serena(o).

Conscientizo-me da Lei da Riqueza. A natureza é um altar de servir e dela participo ativamente.

Sou um ser da prosperidade, realmente rica(o), sadia(o) e feliz!

Assim é a minha mente, e assim passa a ser a minha vida agora.

Abençoada seja!

Antes de entrar no assunto O Poder da Escolha, gostaria de abordar um pouco a respeito da crise que estamos atravessando neste país.

Aliás, a palavra crise dentro do ideograma chinês é Wei-Ji, e tem dois significados: O primeiro é perigo e o segundo é oportunidade para mudar, dar uma virada na vida, um período crucial, decisivo para se mudar algo.

Neste sentido, a crise convida todos a mudarem, a reverem a forma de pensar. Note que toda mudança vem precedida de uma crise.

Mas, se vê a crise como uma inimiga, acredita que ela vem para fazer sofrer, recusa-se a rever a sua forma de pensar, você acaba se fechando para a vida, e se torna rígido(a) e inflexível.

Observe as pessoas que tem uma vida infeliz, problemática, que estão desempregadas, tem relacionamentos difíceis, dolorosos, seja com seus familiares, cônjuges ou amigos.

Muitas, são pessoas rígidas, que estão presas a alguma coisa.

Uma pessoa desempregada, muitas vezes, perdeu seu emprego porque se recusou a mudar, não se atualizou, não estava, portanto, aberta às exigências da nova realidade do mercado.

Por outro lado, a pessoa que vai bem profissionalmente, é aquela que está sempre se atualizando, se movimentando, que não se acomoda.

É que nem o movimento das marés. Quando a maré sobe, se você ficar parado e não sair do lugar, a água vai te encobrir.

Se você tem dificuldades de se relacionar com seu marido ou com sua esposa, é provável que esteja esperando que ele(a) mude, ao invés de promover suas próprias mudanças.

A tendência da maioria das pessoas é sempre esperar que os outros mudem, culpando-os e responsabilizando-os pela sua infelicidade.

Mas por quê?

Porque mudar dá trabalho, você precisa abrir mão de muitas coisas; daí é mais fácil esperar que os outros mudem.

Então, é preciso agir feito o bambu. Por que ele é resistente?

Porque é flexível, se molda de acordo com a força do vento.

Diante de um vento forte, ele não oferece resistência, ele se enverga, adapta-se; por isso, não se quebra.

Da mesma forma, precisamos agir feito o bambu, ser flexível em tudo na vida.

Nos dias atuais, o que mais as pessoas, a mídia falam é essa palavra: mudança.

Mudanças na economia mundial, mudanças para o novo milênio, mudança de mentalidade, de atitude, etc.

Agora, mudar significa o quê?

Significa transformar, soltar o velho e estar aberto para o novo.

Porém, mudar assusta porque o novo é algo desconhecido e, portanto, ameaçador.

Mas, como diz um velho dito popular: “Se não mudar pelo amor, pela inteligência, vai ter que mudar pela dor, pelo sofrimento”.

Infelizmente, muitos preferem mudar pela dor, segurando, apegando-se ao velho, o que é conhecido.

Por outro lado, sua vida não flui, fica emperrada porque a vida funciona de forma dinâmica, nada fica parado, nada na natureza está estática, mas sempre em constante movimento, em constante mutação.

Na verdade, a dor, o sofrimento, tem uma função, que é o de convidar a pessoa a rever sua forma de pensar e agir.

Porém, a maioria não faz isso, até que seja forçado a mudar. Ou seja, espera a dor vir para se transformar.

Tem gente que só muda quando está no fundo do poço (e olha lá!).

Freud, o pai da Psicanálise, dizia: “Quando a dor de não estar vivendo for maior que o medo da mudança, o ser humano tende a mudar”.

Aliás, este é um comportamento humano clássico.

Você espera até aquele ponto máximo para ter que mudar.

A razão pela qual temos tanto stress no mundo de hoje é muito simples: recusamos a mudar o que precisa ser mudado, isto é, os nossos comportamentos, atitudes, velhos hábitos, crenças etc.

Agarramo-nos rigidamente aos nossos padrões antigos, às experiências do passado porque é algo conhecido.

Observem que gastamos 80% do nosso tempo pensando no passado, principalmente nas coisas que fizemos, e que não deram certo.

Se você quiser relembrar o seu passado, então, vá de maneira positiva, e procure descobrir quais foram suas vitórias, tudo aquilo que você fez de bom, e que você pode celebrar.

Anote tudo isso, e, então, use essas experiências para poder dar Poder às suas metas do futuro.

Mas, a maioria das pessoas não têm metas claras (e muitos nem têm metas).

Numa pesquisa feita recentemente com 200 pessoas, foi perguntado: “Vocês têm suas metas escritas sobre o que estão almejando?”

Apenas 4% responderam que escrevem as metas que têm a cada dia.

Então, é preciso estar claro quais são suas metas?

No meu consultório, ao indagar aos pacientes sobre suas metas, muitos se sentem incomodados e inseguros com a pergunta porque não acreditam que são capazes de realizá-las.

Explico que todos nós temos o poder da escolha. E este poder não está lá fora. Está dentro de nós.

A única forma de alcançá-lo, é através de uma viagem interna. Uma viagem interior, para dentro de sim mesmo. É por isso que os sábios praticam a meditação.

Eles entram dentro de si para encontrar o Poder, para restaurar a sua autopercepção, eles viajam para fazer uma escolha consciente do que querem conseguir em suas vidas, ou seja, para alcançar suas metas, criam uma visão.

Eles têm consciência que não basta ter vontade, desejo de se conseguir algo, mas é preciso visualizar o objetivo de forma que possam vê-lo, senti-lo e tocá-lo.

Criam cenas mentais daquilo que almejam em suas vidas, através da imaginação e da visualização.

Talvez você desconheça o Poder da imaginação como recurso para se alcançar algo em sua vida.

Sabe-se hoje que a ciência vem estudando a fundo o uso e o controle das ondas cerebrais ALFA nos estados mentais.

A Alfagenia, denominação dada pelo Dr. Anthony Zaffuto, em seu livro “Alfagenia”, ele explica como usar as ondas cerebrais para melhorar sua vida.

Ele se baseia na geração de estágio eletroencefalográfico ALFA (13 a 8c/s), ou seja, gerando estas ondas cerebrais, com as quais iremos controlar nossa saúde física, fisiológica ou mental.

Nas olimpíadas de 1976, o psicólogo americano, Dr. James Counsieman, utilizou a técnica alfagênica, usando relaxamento e a visualização em estado ALFA e ajudou a equipe americana de atletas a conquistar 12 medalhas de ouro.

Há pessoas que nem sequer ousam imaginar, visualizar cenas mentais daquilo que almejam, simplesmente porque não acreditam que são capazes de concretizar seus sonhos.

Levam uma vida tão limitada porque têm uma cabeça limitada, acreditam e cultivam a crença na falta.

Há um dito popular que diz: “Rico pensa rico; pobre pensa pobre”.

Realmente, quando você pensa pobre, irá viver uma vida de falta, isto é, falta de dinheiro, de amor, de saúde etc.

Lembre-se: Riqueza não é só ter bens materiais, pois, existem muitas pessoas ricas materialmente, mas, são pobres de riqueza mental, emocional e espiritual.

Será que vou conseguir pagar minhas despesas?

Será que vou adoecer?

Será que vou ser abandonado(a)?

Vou ficar sozinho(a)

E se não der certo?

É preciso então, mudar seus padrões de pensamentos, procurando nutrir seus pensamentos de coisas boas, ser alegre, ter espírito de criança.

O grande mestre Jesus já dizia: “Se não te tornares criança, não entrarás no reino dos céus”.

É preciso também ter atitudes adultas, tomando decisões e ter firmeza.

Ser feliz quando tudo vai bem na vida é fácil; o difícil é ser feliz nas experiências dolorosas, buscar crescer sem perder o humor e a alegria.

Em muitas situações, não podemos mudar os acontecimentos da vida, mas podemos mudar a maneira como vamos reagir a eles.

De que forma?

Evitando cultivar o hábito de comentar aspectos negativos de sua vida com as pessoas.

Quando você tem o hábito de comentar algo negativo, está realçando, sublinhando esse algo. E, de tanto comentar, acaba materializando seu temor.

É que nem o medroso, observe: ele só fala no medo.

Ele só pensa e fala nas coisas trágicas, dramáticas. Por isso sua vida é tão complicada.

Muitas pessoas tendem a valorizar seus problemas e subestimar sua capacidade de resolvê-los.

Lembre-se: Quanto mais você valorizar os seus problemas, pensando, falando e se lamentando para os outros, mais eles aumentarão.

Ao invés disso, comente, realce, sublinhe, pinte, desenhe algo que você tanto almeja, mas faça isso do fundo do coração.

Verá que seu desejo se realizará.

A vida está aí para ser vivida intensamente, mas, se você ficar preso ao passado, em sua mente temerosa, cheia de ilusões, isso vai impedi-lo de viver o momento.

Agora, para se ter entusiasmo em querer viver, é preciso antes de tudo viver bem consigo, cultivar um profundo respeito por si, gostar de tudo o que se refere a seu respeito, tanto aquilo que te orgulha, como o que te envergonha.

Gostar verdadeiramente de si resulta em querer viver, ter paixão pela vida.

Quando você aprende a gostar de si, torna-se uma pessoa funcional do ponto de vista amoroso, sua vida se torna mais fácil e produtiva.

Você se sente melhor, consegue o emprego que quer, e seus relacionamentos se tornam mais carinhosos e nutritivos, resgatando sua capacidade de amar.

Mas como dá para uma pessoa viver bem consigo e se valorizar se tem uma autocrítica acentuada?

Vive se censurando, se criticando, se corrigindo constantemente.

Por que será que uma pessoa vive se corrigindo?

Na verdade, é porque tem uma autoimagem negativa.

Autoimagem é como você se vê, isto é, o que você pensa e sente a seu respeito.

” Sou uma pessoa fracassada, nada dá certo na minha vida”.

Se você pensa assim, é porque têm uma autoimagem negativa.

Autoimagem positiva é aquela pessoa que pensa que é capaz, competente, merecedor, e se julga uma pessoa valorosa.

Mas o que você pensa e sente a seu respeito, vem da forma como seus pais, tios, avós, professores o viam e falavam de você.

Na verdade, em muitos casos, essas pessoas só reforçaram positiva ou negativamente a nossa autoimagem, que já trazemos de outras vidas.

É preciso também vencer seus pensamentos auto-limitadores do tipo: “Não consigo, não posso, não sou capaz”.

Veja o caso de atletas que sonham com medalhas nas olimpíadas. São exemplos do que é se superar.

Numa das Olimpíadas passadas, uma atleta de maratona chegou por último na linha de chegada e foi aplaudida em pé dentro do Estádio.

Mas por que foi aplaudida em pé se foi a última a chegar?

Foi aplaudida porque cumpriu o que se propôs a fazer. Chegou toda cambaleando, “torta”, mas chegou. Cumpriu sua meta. Se superou!

Gosto da frase de Roberto Crema, psicólogo e filósofo brasileiro: “A maravilha da vida humana apenas existe e se perpetua porque os espermatozóides nunca perdem a fé.

Mesmo os mais deficientes e frágeis, com milhões de concorrentes mais fortes, nunca desistem da busca e luta pelo tão sonhado óvulo. A própria vida é uma testemunha de fé”

Tudo em nós e no Universo foram feitos para crescer, evoluir, acertar, consertar, ser feliz. Pôr-se ao contrário disso é buscar a dor e a infelicidade.

Por isso, não faça da vida um depósito de lamentações, críticas e artimanhas.

Creia em si! Acenda uma luz que ilumine toda a estrada.

Seja alegre, resistente ao desânimo e descobrirá a felicidade.

Acenda o otimismo!

Lembre-se: O fogo no palito de fósforo ou na floresta começa de pequena faísca.

Sejamos essa faísca!


Caso Clínico:

Por que os homens com os quais me envolvo se afastam de mim? Mulher de 26 anos, solteira, me procurou porque queria compreender o motivo de todos os relacionamentos amorosos não durarem mais de um ano. Todos acabavam se desinteressando por ela. Teve uns cinco relacionamentos amorosos.

Na regressão vê numa vida passada, uma casa grande com um monte de gente. Ela se vê descendo uma escada. É loira, 32 anos, usa um vestido bem armado e decotado.

Vê mesas de jogos, muita gente bebendo, homens e mulheres. Ela é a dona deste estabelecimento. É um prostíbulo.

Desce e procura um homem que ela gosta e que costuma frequentar o local. No final da escada, ele vem recebê-la.

Ele é um homem de posição, casado, e tem uma filha.

Ela me diz que o que a incomoda nessa relação é que ela não podia ficar com ele pelo fato de ser casado.

No entanto, ele sempre lhe prometera que iria ficar com ela, e que os dois iriam morar num outro país.

Ela identifica essa vida passada como sendo na França e o ano era 1630.

Em seguida, ela se vê grávida desse homem. Mas não conta para ele.

Peço para que avance na cena.

Ela se vê numa casa, dando à luz uma menina. Falam que ela deveria avisar ao pai da criança. Tem um homem que gosta dela, um amigo que a ajudou muito.

Ela pede para esse amigo falar para o pai da criança. Ele diz que vai cuidar da criança, mas, mais uma vez só fica na promessa.

Peço para que ela avance na cena e vá para o momento de sua morte.

A paciente diz que só valeu viver essa vida por causa de sua filha. Ela não acreditava em promessas de homens, que eles eram mentirosos, e não podia confiar neles.

Houve aí uma grande desilusão amorosa porque no início acreditou nas promessas dele.

Esse homem, pai de sua filha, ela o identificou com sendo seu último namorado na vida atual.

Ainda hoje, ele continuava agindo de forma covarde, não querendo assumir nada no relacionamento.

Ela entendeu nesta regressão, que atraia nesta vida homens com dificuldades de se envolverem emocionalmente em função dessa desilusão amorosa, dessa crença de que não se pode confiar nos homens que ela nutria naquela vida passada.

Por isso, sempre achou que seus relacionamentos amorosos não iriam dar certo e acabavam acontecendo, pois o que conta nesses relacionamentos, são as energias que ela emanava.

A atração entre os sexos, aquele algo a mais, é criado pela aura energética.

Se os homens se afastavam dela, é porque existia uma energia emanada de sua aura que os afastavam, fruto de sua desconfiança.

No momento de sua morte nesta vida passada, recordou que o pai de sua filha veio se vingar dela, pois fora a responsável por levar sua outra filha a se prostituir e trabalhar em seu estabelecimento.

Ele a esfaqueou várias vezes, vindo a falecer com um sorriso de satisfação em seus lábios, pois conseguira desgraçar a vida daquele homem.

Após compreender a causa do afastamento dos homens, resolveu mudar sua postura em relação a eles, ficando mais aberta, exercendo o seu poder de escolha, ao optar em dar um voto de confiança neles.

Atualmente está casada e tem duas filhas.




0 visualização

T.R.E - Terapia Regressiva Evolutiva - A Terapia do Mentor Espiritual

 

 

 

Rua Luís Góis, 2068 - Saúde - São Paulo/SP - 04043-200      

 Contato:  (11) 2369-9831  (11) 94107-7222       

 e-mail : osvaldo.shimoda@uol.com.br