top of page
Buscar
  • Foto do escritorOsvaldo Shimoda

Não é prejudicial descortinar o véu do esquecimento do passado?


Muitos espíritas me mandam e-mails, questionando por que na TRE (Terapia Regressiva Evolutiva) - Terapia do Mentor Espiritual (ser desencarnado diretamente responsável pela nossa evolução espiritual) - Abordagem psicológica e espiritual breve, sistematizada por mim em 2006, descortina-se o "véu do esquecimento" do paciente (barreira da memória, que se manifesta em forma de amnésia, e que impede o encarnado de recordar suas vidas passadas) já que, segundo Kardec (o codificador do Espiritismo), o véu é providencial, uma bênção, um presente de Deus.


Ou seja, não é por acaso que Deus, em seu infinito amor e sabedoria, impede-nos de lembrar das atrocidades cometidas em outras vidas.

Respondo esses e-mails, concordando plenamente com o posicionamento do Kardecismo; no entanto, esclareço que a TRE - A Terapia do Mentor Espiritual, por ainda ser uma terapia nova, não conhecida por muitos, em sua profundidade, é natural as dúvidas em relação à sua real aplicação terapêutica. Por isso, aproveito neste artigo, para esclarecer às pessoas que tenham dúvidas acerca dessa terapia, que é sempre o mentor espiritual de cada paciente (e não o terapeuta) que decide se irá ou não descortinar o "véu do esquecimento", para que o mesmo possa se libertar das amarras (bloqueios) de seu passado e resolver seus problemas. O fato do mentor espiritual do paciente ser responsável por sua evolução espiritual, obviamente o conhece profundamente, pois vem acompanhando-o em várias encarnações; sendo assim, somente ele sabe a causa de seus problemas. Por isso, o mentor espiritual do paciente tem plena consciência que o descortinamento do véu deve ser feito sempre de forma criteriosa, com parcimônia, pois, sabemos que o descortinamento do véu do esquecimento do paciente é um procedimento delicado e complexo, por remexer feridas dolorosas, antigas de seu passado. Sendo assim, se o paciente não estiver preparado psicologicamente para entrar em contato com os traumas psíquicos oriundos de seu passado, seja desta ou de outras vidas, o descortinamento do véu do esquecimento poderá prejudicá-lo, ao invés de ajudá-lo, podendo até mesmo agravar o seu problema.

Por isso, existem cinco possibilidades de algo ocorrer nessa terapia em relação ao "véu do esquecimento" do paciente: 1º) O paciente pode regredir ao seu passado - seu mentor espiritual irá descortinar o seu "véu do esquecimento", fazendo-o reviver experiências traumáticas de seu passado, por entender que isso irá libertá-lo de seus bloqueios; 2º) O paciente não só regride ao passado, como também progride (o mentor espiritual, nesse caso, faz também revelações futuras em relação à sua vida, por achar que isso é necessário); 3º) O paciente não regride ou progride em nenhum momento, pois o objetivo principal de sua vinda à terapia é fazer um trabalho de desobsessão espiritual para que ambos, obsessor espiritual (desafeto do paciente) e o obsidiado (paciente) se libertem definitivamente das amarras do passado, através da reconciliação; 4º) O paciente vem à TRE para fortalecer sua fé em si e nas forças invisíveis, conversando com o seu mentor espiritual (ele pode ou não revelar algo de seu passado); 5º) Neste caso, aplica-se a máxima secular dos hindus: "Quando o discípulo(paciente) está pronto, o mestre(mentor espiritual) aparece". Portanto, se o paciente não estiver maduro, pronto para entrar em contato com o seu mentor espiritual, não irá se comunicar com ele e nem tampouco regredirá ao seu passado. O percentual desses pacientes que vêm ao meu consultório é de 2%. Os motivos são diversos, mas, o principal, é que esses pacientes ainda não estão minimamente abertos, receptivos para entrarem em contato com o seu mentor espiritual, por conta da falta de fé, incredulidade, ceticismo, preconceito, desinformação acerca da regressão de memória, reencarnação, existência dos espíritos. Mas pode ocorrer também pela ação de seus obsessores espirituais, que bloqueiam, sabotando a terapia, não os deixando ver nada ou se concentrarem, para se comunicarem com os seus mentores espirituais. Caso Clínico: Por que o meu namorado teme que o troque por outro homem?

Mulher de 24 anos, solteira. A paciente veio ao meu consultório, queixando-se de que o namorado (há três anos que os dois namoravam e, a um ano, moravam juntos) era muito inseguro, tinha uma baixa auto-estima, pois não se sentia bom o suficiente para ela; dizia constantemente que ela iria trocá-lo por outro. Ele tinha pesadelos constantes, gemia e dizia: "Não me deixe, você está me trocando por outro homem". Ela não entendia também, por que quando brigavam, ela pedia desculpas, apesar de não ter feito nada para ele. Pensou em deixá-lo, mas, não conseguia, pois se sentia responsável por ele. Queria se casar na Igreja, constituir uma família, mas, ele dizia que nunca iria conseguir fazê-la feliz. Recentemente, a paciente teve um sonho em que uma mulher desconhecida entrava no apartamento deles e perguntava se podia ficar com eles. Segundo ela, o namorado também já havia sonhado com essa mulher. Ao regredir, a paciente me relatou: "Vejo uma mulher ruiva, cabelos compridos, veste uma roupa branca, ela está aqui no consultório... Diz que é a minha mentora espiritual. Revela, que eu abandonei o meu namorado numa vida passada. Eu era a mãe dele nessa existência passada, que não liguei para ele, eu o rejeitei, e ele nunca me perdoou por isso.

Revela também, que quem o criou foi uma empregada de uma fazenda, onde trabalhávamos juntas. Ele quis estudar, mas, como era pobre, filho de uma empregada (a paciente era essa empregada nessa vida passada), não conseguiu, falavam que ele era burro, incapaz. Eu não me arrependi de tê-lo abandonado, pois queria ter uma vida melhor, uma ascensão social; por isso, resolvi sair dessa fazenda.

Mas não consegui ter uma vida melhor, acabei ficando sozinha, eu me tornei uma pessoa triste, amarga, e esqueci de todos que eu tinha deixado para trás. O meu filho foi criado por essa empregada da fazenda, e nunca mais o vi. Ele não se casou, pois não se sentia capaz de constituir uma família, e terminou sua vida também sozinho, morrendo ainda jovem. Ele gostava muito daquela empregada, que o criou como se fosse o seu verdadeiro filho. Eu o abandonei quando ele tinha três anos, mas ele sabia que eu era sua verdadeira mãe; ele sentiu muito a minha falta. (pausa).

Tenho a impressão de que essa mulher que o criou, é a mesma que apareceu naquele sonho em meu apartamento, perguntando se ela podia ficar com a gente. A minha mentora espiritual confirma, diz que é ela sim, mas que ela é um espírito obsessor, pois está sempre perto de meu namorado. Esclarece, que é essa mulher que o influencia negativamente, reforçando o seu medo, insegurança, pois ela teme que eu o abandone novamente como fiz na vida passada. Diz que ele sofre uma forte influência dela, por ela ser superprotetora". No final dessa sessão, entreguei a oração do perdão para que a paciente procurasse irradiar muita luz para aquela obsessora espiritual, ajudando-a a buscar o caminho da luz.

Na sessão seguinte(última), a paciente me relatou: "Vejo quatro seres de luz, vieram levá-la para a Luz. Mas estão me dizendo que tenho que conversar com essa mulher (obsessora espiritual) porque ela não quer sair perto de meu namorado, pois acha ainda que vou abandoná-lo.

Eles explicam, que ela ficou bastante perturbada quando soube que precisava ir embora, afastar-se de meu namorado. (pausa). Chego perto dela, os seres espirituais benfeitores estão irradiando luz para ela. Pego em sua mão, faço carinho, agradeço por ela ter cuidado de meu filho naquela vida passada (paciente fala chorando). Falo também, que hoje sou uma outra pessoa, que jamais faria o que fiz naquela vida passada, e que ela precisa ir para a luz. Peço-lhe para confiar nesses seres de luz, pois eles vieram para ajudá-la. Ela chora, me abraça, pede para não desistir de meu namorado, mesmo que isso seja difícil para mim. Procuro acalmá-la, dizendo que quero constituir uma família com ele; por isso, dessa vez, não vou abandoná-lo. Ela chora bastante... Os seres de luz estão abraçando-a. Eu lhe agradeço novamente, e lhe peço para ir em paz para a luz. Sinto um odor agradável, parece cheiro de mato, de terra (é um odor que esses quatro seres de luz estão emanando). Os seres de luz, agora, estão levando-a, estão se afastando... eles já foram. (pausa).

A minha mentor espiritual está comigo, revela que a gente vai realmente constituir uma família, que estou no caminho certo. Ela está sorrindo... Fala que nós temos muita coisa para aprender, mas que tudo vai melhorar, e que o meu namorado vai se sentir mais seguro, mais feliz, quando a gente tiver os nossos filhos. Ela pede para continuar tendo paciência, insistindo sempre em lhe mostrar coisas boas para ele se sentir merecedor.


Conclusão: A minha mentora espiritual me explica, que com a saída daquela mulher (obsessora espiritual) em nossas vidas, a princípio ele vai se sentir perdido, mas faz parte de seu processo de amadurecimento. Mais para frente, ele vai se permitir ter momentos de felicidade, terá boas surpresas, mais motivação para viver e, com isso, vai se sentir mais seguro. Pede também para eu orar por ele, que sempre que precisar dela, principalmente nos momentos de tristeza, é para pensar nela, que ela irá me ajudar". Terapeuta: - Pergunte à sua mentora espiritual de onde vem o temor de seu namorado que você o troque por outro homem?


Paciente: "Diz que vem dessa vida passada, pois, falaram para ele que eu o abandonei para ir embora com um homem. Diz ainda, que a palavra-chave que irá mudar a vida dele é "família" porque ele não teve naquela existência passada. Reitera, que quando a gente tiver os nossos filhos, ele vai amadurecer bastante. Ela me abraça, pede que eu fique atenta aos sinais de que ela irá me mostrar, para eu saber o que fazer nos momentos difíceis. Vejo uma luz bem forte atrás dela, pede para ficar com Deus... Ela está indo".




155 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page