Mitos e Verdades sobre Hipnose e Regressão de Memória

Mitos e Verdades sobre Hipnose e Regressão de Memória

Por conta dos mitos que existem a respeito de hipnose e regressão de memória, muitos veem ainda com grande desconfiança esses dois assuntos, achando que é uma forma perigosa de controle da mente, que o hipnotizado fica totalmente à mercê do hipnólogo.

Por isso, selecionei as dúvidas mais comuns que os pacientes têm:


1) Na hipnose não é perigoso dormir e não acordar nunca mais?

Na hipnose a pessoa não dorme, mas entra em estado alterado de consciência (rebaixamento de consciência).

A neurociência, através dos exames modernos, prova que em estado hipnótico, a pessoa não dorme. Nem mesmo os que entram nos níveis mais profundos de hipnose adormecem, pois reagem a todos os comentários do hipnólogo.

2) Vou me lembrar de tudo o que ocorreu na regressão de memória?

Poucos pacientes esquecem totalmente do que recordam de suas vidas passadas numa sessão de regressão. A maioria tem plena consciência do que está sendo dito.

Na TRE, portanto, a regressão de memória ocorre sempre consciente, o paciente não perde a consciência.

3) Essa terapia não é perigosa? Ao regredir às vidas passadas não corro o risco de ficar preso ao passado e não voltar mais ao presente?

Não existe essa possibilidade, pois o paciente fica consciente durante a sessão de regressão; por isso, não perde a noção do tempo e espaço.

4) Todos os pacientes regridem às vidas passadas e conversam com os seus mentores espirituais?

Há 6 tipos de experiências que os pacientes passam na TRE:

a) O paciente pode regredir ao seu passado, desta (infância, nascimento e útero materno) ou de outras vidas;

b) O paciente não só regride ao seu passado, como também progride, isto é, seu mentor espiritual faz revelações futuras em relação à sua vida, se assim achar necessário;

c) O paciente passa por uma desobsessão espiritual, onde vai entrar em contato com o seu obsessor espiritual (desafeto de seu passado), ajudando-o a ir para a luz, para que ambos se libertem definitivamente do passado.

d) O paciente vem a essa terapia para fortalecer a fé em si e nas presenças invisíveis, fortalecendo a crença na existência do plano invisível, conscientizando-se de que não está sozinho nesta vida terrena, que está sempre sendo amparado pelos seres desencarnados de luz;

e) O paciente passa pelas quatro experiências acima mencionadas;

f) Aplica-se aqui a máxima secular hindu: “Quando o discípulo está pronto, o mestre aparece”.

Neste caso, se o paciente (discípulo) não estiver pronto, maduro espiritualmente para entrar em contato com o seu mentor espiritual (mestre), não irá se comunicar com ele, muito menos passar por uma regressão de memória.

5) Essa terapia é aplicada para todos os problemas? Todos podem passar por essa terapia?

Indicações e contraindicações da TRE:

Indicações:

Todas as fobias, ou seja, todos os tipos de medos intensos como: medo de lugares fechados (metrô, elevador, dirigir em túneis); medo de altura; de falar em público (fobia social); medo de contrair doenças incuráveis como o câncer e a AIDS; medo da solidão pelo fato de ter sofrido sucessivas decepções amorosas; medo da morte, de perder os entes queridos, etc.;

Problemas de relacionamentos familiares, conjugais, sociais e no trabalho (relacionamentos cármicos, difíceis, dolorosos, truncados entre pais e filhos, irmãos, cônjuges, figuras de autoridade - chefes e/ou colegas de trabalho, etc.);

Problemas sexuais (impotência, ejaculação precoce, retardada, anorgasmia - falta de orgasmo -, perda da libido - diminuição ou ausência de desejo sexual -, vaginismo, vaginite, endometriose, etc.);

Transtornos de ansiedade (síndrome do pânico, ansiedade generalizada, tiques nervosos, T.O.C. (transtorno obsessivo compulsivo) como mania de limpeza, de se certificar várias vezes se deixou a porta fechada, botijão de gás, torneiras, etc.);

Transtornos de humor (depressão, angústia, instabilidade de humor); Doenças psicossomáticas (doenças orgânicas de origem emocional e/ou espiritual como: alergias, vitiligo, psoríase, ictiose, síndrome tuberosa, asmas, enxaquecas, dores, etc.);

Dificuldades financeiras e profissionais decorrentes de bloqueios emocionais e/ou interferência de seres extra-físicos (obsessores espirituais).

Contraindicações:

Deficientes mentais e auditivos (relação terapeuta-paciente se torna dificultosa no processo de comunicação);

Distúrbios psiquiátricos graves (pacientes em surto psicótico e pré-psicótico, a comunicação com o terapeuta também se torna dificultosa. Nesses casos, é necessário antes que o paciente seja medicado para sair do surto e, após isso, é possível passar pela TRE);

Criança até 12 anos, por conta de sua imaturidade, vai ter dificuldade de se entregar e entender o processo terapêutico. Nesse caso, recomendo que um parente (pai, mãe, irmão, tio, avô, etc.) faça essa terapia em seu lugar.

Gestantes (não é recomendável por interferir no feto);

Pacientes excessivamente céticos, incrédulos, e, sem esclarecimentos acerca da espiritualidade (não tem maturidade espiritual).

6) O senhor me garante que vou sair dessa terapia curado ou com os meus problemas resolvidos? Que garantia vou ter fazendo essa terapia?

Para que o paciente possa obter os benefícios dessa terapia, é preciso que ele tenha perfil para passar por essa terapia, que é maturidade espiritual (fé em si e nas presenças invisíveis, humildade e esclarecimento acerca dos fundamentos da espiritualidade) e merecimento ou seja, “A cada um será dado segundo suas obras, seus feitos”.

7) Como vou saber se estou preparado(a) para passar por essa terapia?

A resposta é a mesma da questão anterior.

8) Por que essa terapia descortina o véu do esquecimento se Kardec falou que esse véu é uma benção, um presente de Deus?

No “Livro dos Espíritos”, questão 399, Allan Kardec limita em três condições o descortinamento do véu do esquecimento: a) Em certas circunstâncias; b) Senão pela vontade dos espíritos superiores; c) Com um fim útil, jamais para satisfazer uma curiosidade vã.

Sendo assim, em nenhum momento ele afirma que não se deve descortinar o véu do esquecimento.

8) Essa terapia é espírita? É uma terapia religiosa?

A TRE não é uma terapia espírita ou religiosa como muitos ainda pensam. É uma terapia independente, laica, desvinculada de qualquer religião, doutrina, seita ou grupo espiritualista.

Nesta terapia, quando o paciente conversa com o seu mentor espiritual e recebe suas sábias orientações acerca da causa de seus problemas e sua resolução está entrando em contato com a espiritualidade, com a realidade espiritual.

Por isso, na TRE, não se utiliza de médiuns para que o paciente possa conversar com os seres espirituais – das trevas ou da luz. É o próprio paciente que conversa diretamente com os seres espirituais.

9) Vou ver tudo nessa terapia?

É importante esclarecer que, nessa terapia, o paciente traz experiências de seu passado, não só de forma visual, mas utilizando-se de seus 5 sentidos, bem como o sexto-sentido, de forma intuitiva. Então, ele pode ver cenas, imagens de seu passado, desta ou de outra vida; pode ouvir tiros de canhões, se participou de uma batalha numa existência passada; sentir odor de terra, esterco de cavalo se viveu numa fazenda na vida pretérita; gosto de sangue se foi mortalmente ferido numa batalha, e, muito calor, se foi queimado na fogueira no período da inquisição. E intuir, sentir, tendo a impressão de se ver, por exemplo, como índio na vida passada. Mas é importante esclarecer, que é o mentor espiritual do paciente que na TRE vai determinar que tipo de vivência o paciente vai passar, mostrando-lhe apenas o que lhe será útil, benéfico.

10) Como posso saber se tudo o que vivi nessa terapia não foi fantasia, imaginação?

Dr. Júlio Peres, neuropsicólogo brasileiro, PhD em psicologia pela Universidade de Pensilvânia, nos EUA, e pesquisador do Instituto de Psiquiatria da USP, pesquisou o funcionamento do cérebro dos voluntários durante o processo de regressão de memória a vidas passadas. Ele fez esse estudo em parceria com a Universidade de Pensilvânia. O exame de ressonância magnética revelou que as estruturas do cérebro que entraram em atividade foram o lobo médio temporal (responde pela memória) e o lobo pré-frontal esquerdo (responde pelas emoções).

Conclusão da pesquisa: os relatos descritos pelos voluntários nas sessões de regressão de memória não foram frutos da imaginação, pois a estrutura do cérebro responsável pela imaginação (lobo frontal) não foi ativada.

11) Após o término da terapia, a comunicação com o meu mentor espiritual vai continuar?

Vai depender de cada paciente. Há pacientes que se comunicam com o seu mentor espiritual só durante a terapia; após o seu encerramento, não se comunica mais. Mas há aqueles que mesmo com o findar da terapia, continua se comunicando com o seu mentor, intuindo-o, ou mesmo em seus sonhos.

12) Ao fazer essa terapia, regredindo, ao invés de melhorar, não vai piorar os meus problemas?

A TRE, como método terapêutico de autoconhecimento e cura, é conhecida por ser breve, segura e eficaz. Mas por quê?

Por ser conduzida pelo mentor espiritual de cada paciente, que sabe muito bem o que ele está preparado ou não para saber nessa terapia. Sendo assim, ele é muito cuidado, responsável, jamais vai lhe revelar algo que irá lhe prejudicar.

Desta forma, essa terapia é realmente segura e eficaz, pois o mentor espiritual só vai mostrar ao paciente o que lhe será benéfico e útil.

13) O senhor é médium, incorpora alguma entidade espiritual?

Embora eu tenha uma boa intuição, expertise em auxiliar como terapeuta o mentor espiritual do paciente no processo terapêutico, não tenho nenhuma mediunidade de psicofonia(incorporação), canalização ou psicografia.




230 visualizações

T.R.E - Terapia Regressiva Evolutiva - A Terapia do Mentor Espiritual

 

 

 

Rua Luís Góis, 2068 - Saúde - São Paulo/SP - 04043-200      

 Contato:  (11) 2369-9831  (11) 94107-7222       

 e-mail : osvaldo.shimoda@uol.com.br